É Preciso Encaixotar? Modelos que Referenciam a Prática Docente em Saúde

C.B. Betty
2015 Comunicações  
É preciso encaixotar? Modelos que referenciaM a prática docente eM saúde Is it needed to encase? Models that reference the teaching practice in health. ¿Es necesario encajonar? Modelos que hacen referencia a la práctica docente en salud. Resumo Trata-se de uma reflexão sobre modelos que orientam a prática docente no ensino superior em saúde para trabalho em curso interdisciplinar de formação de professores, na pós-graduação stricto sensu. Foram identificadas formas de sistematização elaboradas
more » ... tização elaboradas por estudiosos da educação e do ensino em ciências da saúde. Ao longo da vivência no curso e de atividades em grupo de estudos sobre a formação docente em saúde, surgiram os questionamentos: por que buscamos modelos em nossas reflexões? Uma vez encontrado(s) nosso(os) modelo(os) de referência(as), precisamos tomá-lo(os) como ideal(ais)? Ou seja, é preciso nos encaixotar? As análises revelaram que pensamos filosoficamente por modelos. E pensar o processo de ensino-aprendizagem por meio de modelos pedagógicos pode ser saudável para nossas reflexões, mas buscar um modelo ideal a ser seguido poderá tornar-se usurpatório e entrar em contradição com a ideia de autonomia do docente em processo de formação. Considero que não precisamos nos acurralar em "prisões" ou "caixas" para vivenciarmos nossas experiências formativas e elaborarmos nossas práticas docentes. PalavRas-chave: Fundamentos da eduCação; Formação doCente; Pedagogia universitária; teoria CrítiCa da soCiedade; ensino e saúde. abstRact It is a reflection about the models that guide the teaching practice at the higher health education, to work in teacher education interdisciplinary program, at stricto sensu postgraduate program. Forms of systematization developed by scholars of education and education in health sciences were identified. Throughout the experience from the course and study group activities on teacher training in health came the questions: Why we search models in our reflections? Once found our reference(s) model(s), we need to take it as ideal? In other words, it is necessary packing ourselves? The analysis revealed that we think philosophically by models. And think the process of teaching and learning by the pedagogical models, can be healthy for our reflections, but search for an ideal role model for be followed could become a usurpation and contradict the idea of autonomy of teachers in formation process. I consider that we don't need pound ourselves in "prisons" or "boxes" to live our formative experiences and elaborate our teaching practices.
doi:10.15600/2238-121x/comunicacoes.v22n3p155-164 fatcat:rvsprvgbs5a35cmxd2rpesl6gm