Nota preliminar sobre a composição do zooplâncton do estuário do Rio Paraíba do Norte, PB, Brasil

Gilberto Alves Pekala
1980 Brazilian Journal of Oceanography  
Universidade Federal da Para(ba, João Pessoa, PB, Brasil SYNOPSIS PlIJnkton samples were coOected from 13 stations on the estuary of the river Parafóa do Norte (060 56' to 070 09 ' Lat. Si . Copepoda were the most abundant holoplanktonic organism and from the meroplankton the larvae of Cirripedia were the best represented in the interior of the estuury. Gastropoda larvae occurred in almost ali th e stations being always more abundant than Lamellibranchiae ones, mostly near the mouth of tile
more » ... e mouth of tile channel. Decapoda larvae and eggs and larvae of fishes were also frequento The spatial and temporal distribution ofzooplankum will be sfudied in the tu fure . Introdução Q es tudo da distribuição e o "stand ing-crop" do zooplânc ton de estuários são de fundamental importância para uma compreensão cie ntífica acurada do s processos e mecani smos que atu am nesses ecossistemas. A distribuição e a compemção do zooplâncton em estuár ios são afetadas pelos seguint es fatores: vanaçõe s em salin idadc dev ida à maré : padrões ri" c irculacào da água : gradientes eco lógico, que se estabelecem, sendo que o gradiente de salinidade é um dos mais importantes. O estuário referente ao prese nte trabalho é formado. principalmente, pelo rio Paraíba do Norte que apresenta um curso de 4 80 km. sendo o mais extenso dos rio s co nseq uentes da Serra da Borborema OrientaL Segundo Andrade (1959) a bacia hidrográfica do Paraíba ocupa aproximadamente 32' ;; da área territorial do btado da Paraíba. O estuário contém uma série de ilhas, tais como Portinho. Tiriri e Stuart formando vários canais, sendo que a ilha da Restinga, próxima da barra, divide o estuário em dois canais principais. E ste complexo de iLhas, provavelmente, influiria no padrão de circulação do estuário, determinando correntezas de maior ou menor intensidade nestes canais. O "stuário recebe ainda a contribuição dos rios Sanhauá, Mandacaru, Portinho, Ribeira 'e Guia. Formação de mangue é obeservada nas margens dos rios e nas ilhas. Este trabalho tev e como objetivo, um estudo preliminar so bre o levantam ent o e composição relativa da fauna planctónica ao longo do estuário. "fATERIAL E MÊTODOS Localização da área e das estações A região do estuário do rio Paraíba do Norte está compreendid a entre as latitudes 060 56' S a 07° 09' S. As estações para a coleta do material, em número de 13, fo ram escolhida, ao longo do estuário conforme mostra a Fi!wra I. de maneira a abran!!er todo () provável gradiente de salinidadoe, cujos valores variam de 6 a 30°/00 na m,aré enchente e de 1 a 17 Yoo na maré vazante, respectivamente na, areas onde se localizam as estações I e VII (dados não publica- Coleta do material O material foi coletado nos dia s 12 e 13 de março de 1. 977, durante a maré alta em algumas estações e em outras durante a maré baixa. Para obtenção das amostras de zooplâncton foi utilizada uma rede cônica de 200 pm de abertura de malha, medindo 1 m de comprimento e 30 em de diâmetro. Em cada estação , as amostras foram obtidas através de arrasto horizontal, durante 5 minutos com a velocidade do barco constante. O material foi fixado com formol a 4% neutralizado e a análise posterior do volume do plâncton foi feita através do método de decantação. A identificação dos organismos zooplanctônicos foi baseada em Trégouboff & Rose (1957) e a contagem foi feita através de microscópio estereoscópico com aumento de 100 v.ezes. Para obtenção do nÚl1ll"ro total de organismos em..cada amostra, urna sub amostragem oe 2 cc através de pipeta de "Stempel fOi efetuada, sendo que o número obtido nessa subamostragem fOI extrapolado para um volume previamente conhecido. Resultados e Discussões A rlgura 2 mostra o volume u-o plâncton obtido nas diferentes estações durante ~maré alta e maré baixa. Aamostra que apresentou maior volume de pâncton (78 cc) foi a estação I, coletada durante a maré alta sendo que o grupo da Medusae foi o responsável pelo alto valor do volume obtido, ocupando m~ de 60% do volume total. As amostras das estações I a VI , lvt:alizada mais para o mterior do estuário, apresentaram uma relação direta do volume do plâncton com o fluxo da maré, enquanto que, para as estações VII a XIII, localizadas mais próximas ao canal de entrada de águas oceânicas, houve uma relação inversa. Isto pode ser explicado. possivelmente, pelo fato do, organismos serem carregados durante a maré alta para o intenor do estuáno, acarretando aumento do volume ao plâncton na s estações localizadas nesta área em detrimento do volume do plâncton para as estações próximas à barra. Na maré vazante acontece o inverso pois os organismos são lJ;a.OSDGr!adQS em direção ao canal de saída havendo, conseqüentemente, aumento ao volume do plâncton para as estações junto à barra e a diminuição nas estações localizadas no interior do estuário. Essa idéia pode ser ainda comprovada pela análise da composição qualitativa do zooolâncton, demonstrando a ocorrência rl e certos organismos característicos de águas costeiras nas estações do interior. A composição relativa do zooplâncton nas diferentes estações e os gru pos analisados estão relacionados na Tabela I. Dos organismos holoplanctónicos analisados (Foraminifera, Medusae, Chaetognatha, Copepoda, Appendicularia e Dolliolida) , os Copepoda foram sempre os mais abundantes, estando presentes em maior quantidade na s estacões local.izadas próximas à entrada da barra, contribuindo .:om uma média de 38,27% do total do zooplâncton, como pode ser observado na Figura 3. Os Chaetognatha estiveram presentes em quase todas as estações, porém, uma representatividade maior em relação ao zooplâncton total foi observada nas estações X e XlII. Os Dolliolida estiveram presentes somente nas estações próximas à entrada do canal enquanto que as Appendicularia apresentaram maior penetração para o interior do estuário. As Medusae ocorreram em quase todas • as estações, porém, numericamente não tiveram grande representação em relação ao zooplâncton total. Os grupos dos Chaetognatha, Appendicularia e das Medusae segundo Paranaguá (1964) têm um papel bastante significativo na vida planctônica, pois a associação de espécies dos referidos grupos pode servir como indicadores de massas de água. Quanto aos organismos meroplanctônicos, as larvas de Cirripedia tiveram grande representação nas estações localizadas mais para o interior do estuário contribuindo na maioria da s amostras com mais de 70% do total do zooplâncton. Esta ocorrência está de acordo com as observações de Tundisi (1970) cuja distribuição das larvas de Cirripedia está relaCIOnada com os mOVlD1entos de água doce na superfície associados com a contra c6rrente em direção às nascentes. E possível também que as larvas de Cirripedia sejam mais abundantes nas porções superiores do estuário devido a maior tolerância à salinidade apresentada por estes organismos. Entre as larvas de Mollusca, véligers de Gastropoda foram mais abundantes, ocorrendo em quase todas as estações. enquanto que as véligers de Lamellibranchia ocorreram somente nas estações próximas a entrada do canal onde a salinidade é mais alta. Isto se confirma com os dados de Matsumura-Tundisi (1972) obtidos na região estuarina de Cananéia onde observou, para as véligers de Gastropoda, maior tolerância à diminuição de salinidade do que para as véligers de Lamellibranchia. O mesmo comportamento foi observado para as larvas de Polvchaeta Outras larvas, Brachiura (carang4ejo) e Macrura (camarão), como era de se esperar, estiveram presentes em grandes quantidades em todas as estações pois os estuários constItuem o amlllenre ideal para o desenvolvimento dessas larvas. Quanto aos ovos e larvas de peixes, foram freqüente s, ocorrendo em Quase todas as estações. senao que os ovos foram mais abunoantes nas estaçoes VII e X. Futuros estudos no estuário do rio Paraíba do Norte darão ênfase aos aspectos da distribuição espacial e temporal do zooplâncton em fu nção dos gradientes horizontais e verticais de salinidade. .
doi:10.1590/s1679-87591980000200059 fatcat:lelr42aclff2njqfwj2c7udova