Apresentação

Marcello Baquero, Rodrigo Stumpf González, Jennifer Azambuja de Morais
2013 Revista Debates  
Uma das áreas no campo das Ciências Humanas, na América Latina, que experimentou um avanço significativo na compreensão e explicação dos fenômenos sócio-políticos é a Ciência Política. Programas em Graduação e, sobretudo, Pós-Graduação têm proliferado em todos os países da Região. Nos últimos trinta anos a formação de recursos humanos neste campo disciplinar tem aumentado significativamente, bem como centros de pesquisa. Bancos de dados nacionais, que permitem comparações longitudinais e entre
more » ... gitudinais e entre casos, um anseio tradicional dos cientistas políticos, atualmente existem, possibilitando comparações diacrônicas e sincrônicas. Desse modo, análises comparativas com base em esforços locais de coleta de dados têm produzido novas evidências e novos caminhos para compreender com profundidade os dilemas do processo de construção da ciência na América Latina. Organismos internacionais como CEPAL, Unesco, Clacso e Flacso, assim como agentes financiadores como a Fundação Ford, desempenharam papeis importantes nas primeiras décadas proporcionando suporte institucional, estabelecendo influências teóricas e influindo na definição das agendas de pesquisa e na própria constituição da disciplina na América Latina. Mais tarde, refletindo o amadurecimento da disciplina na região, foram criadas associações profissionais em diferentes países, que assumiram papeis importantes junto às comunidades de profissionais e à instâncias governamentais e que hoje se unem em torno da Rede Iberomericana de Associações de Ciência Política -IBERPOL e ALACIP. Todavia, apesar dos balanços que periodicamente surgem, as diferentes trajetórias de construção da Ciência Política na América Latina ainda são relativamente pouco estudadas e divulgadas. Nesse cenário, a Revista Debates abriu espaço aos cientistas políticos da região para refletirem, a partir de diferentes perspectivas, o desenvolvimento da Ciência Política na América Latina, tanto do ponto de vista da pesquisa quanto do ensino da disciplina. O dossiê inicia com uma análise do desenvolvimento dos estudos sobre Estado e Políticas Públicas no Uruguai, em especial a produção realizada no Instituto de Ciencia Política da Universidad de la República. Os autores, Nicolás Bentancur e María Ester Mancebo, buscaram identificar perspectivas no processo de definição da identidade, na Ciência Política no Uruguai, para delinear os desafios para o desenvolvimento futuro. A seguir, Santiago Leyva Botero, María Fernanda Ramírez, Patricia Muñoz Yi, Andrés Preciado e José Antonio Fortou trabalham com a institucionalização da Ciência Política, como disciplina, na Colômbia. A proposta dos autores é destacar que a institucionalização da disciplina pode ser realizada por meio do fortalecimento institucional em vários níveis, incluindo a consolidação da associação de cientistas políticos e da criação de conteúdos para melhorar o nível de formação dos profissionais.
doi:10.22456/1982-5269.44157 fatcat:qu6mafwp7fds5mr3ylu6tfny74