A identidade como recurso metonímico dos processos de patrimonialização*

Paulo Peixoto
2004 Revista Crítica de Ciências Sociais  
A identidade como recurso metonímico dos processos de patrimonialização * Os processos de patrimonialização sustentam-se de uma retórica que deifica a noção de identidade. Também os processos de construção identitária se ancoram, sublimando-a, na noção de património. Daqui resulta uma ambiguidade inextricável entre os dois termos. Porém, nem todo o património cria identidade, nem toda a identidade dá origem a um património. Esta constatação permite questionar o modo como os processos de
more » ... rocessos de construção identitária se socorrem, por vezes, de recursos aos quais atribuem um estatuto patrimonial. Mas permite igualmente atestar que os processos de patrimonialização nem sempre visam fins que tenham a ver com a preservação de uma identidade. Por colocar a tónica nos processos de patrimonialização e não nos processos de construção identitária, é esta segunda via analítica que este texto privilegia. A análise de processos ocorridos em Portugal permite ilustrar, através de alguns casos empíricos, o modo como a identidade se converte num recurso metonímico dos processos de patrimonialização. * Texto elaborado no âmbito do projecto de investigação "Dinâmicas de recomposição sócio-económica dos centros históricos: o caso de Coimbra" (POCTI/SOC/60886/2004), financiado pela Fundação para a Ciência e a Tecnologia e executado pelo Centro de Estudos Sociais.
doi:10.4000/rccs.1056 fatcat:rp5sece2afftheo7imdjla25vy