Manganelli "posfaciado" no Brasil

Andrea Santurbano
2017 Revista de Italianística  
É sabido como o escritor italiano Giorgio Manganelli (1922-1990) amava escrever para seus livros orelhas e contracapas que, de alguma forma, dialogavam e integravam o próprio texto. Já em dois dos seus três livros traduzidos no Brasil – Hilarotragoedia (Imago, 1993) e Centúria (Iluminuras, 1995) –, encontram- se prefácios e introduções, sendo reposicionados ou parcialmente omitidos os peritextos, de acordo com a definição de Genette, originais. Este artigo, portanto, pretende analisar a
more » ... analisar a diferente articulação dos paratextos nas edições traduzidas, a fim de refletir sobre as estratégias pensadas para a recepção no Brasil de um autor, sem dúvida, de difícil acesso.
doi:10.11606/issn.2238-8281.v0i33p42-49 fatcat:d2seyfchxvgmvelwi7s267ckle