Análise semiótica do filme Mais estranho que a ficção

Jéssica Teixeira Magalhães
2009 Estudos Semióticos  
Resumo: O filme Mais estranho que a ficção propõe ao enunciatário uma provocação baseada num interessante sincretismo actancial, associado a uma deliberada subversão da hierarquia de vozes comumente estabelecida entre narrador e interlocutor. Essa subversão ocorre porque o mesmo ator recobre dois actantes discursivos, diminuindo a distância que normalmente os separam. A análise semiótica proposta neste trabalho pretende mostrar que a originalidade do filme resulta da estratégia do enunciador em
more » ... ia do enunciador em colocar narrador e interlocutor num mesmo nível de interação. Trata-se de um artifício que aproxima o enunciatário da obra, além de corroborar o desenvolvimento do tema "ficção vs realidade", explorado no filme. A construção figurativa dos actantes discursivos é essencial para a abordagem do tema, pois na relação entre eles instaura-se a grande dúvida a ser explorada ao longo de toda a obra: onde termina a ficção e inicia a realidade? Dessa forma, o enunciatário é convidado a desvendar a estranha teia das relações que são estabelecidas entre os personagens do filme. Para esclarecer a interação entre as narrativas presentes no filme e, assim, explicitar a estratégia do enunciador, o estudo utilizou como método de análise o percurso gerativo do sentido, estabelecido por A. J. Greimas. Elementos visuais e verbais do filme foram tomados em consideração para esta análise. Palavras-chave: sincretismo actancial, sintaxe discursiva, cinema Introdução A originalidade do filme Mais estranho que a ficção encontra-se no jogo de vozes estabelecido entre narrador e interlocutor. O noss objetivo, aqui, é explicitar os efeitos de sentido que o filme constrói ao colocar narrador e interlocutor no mesmo nível de interação, visando descobrir como essa estratégia favorece o desenvolvimento do tema "ficção vs realidade". * Universidade Federal Fluminense (uff). Endereço para correspondência: je_tmagalhaes@yahoo.com.br .
doi:10.11606/issn.1980-4016.esse.2009.49242 fatcat:g3bc57wi7vcadktttjyxauvtm4