Geoquímica e petrologia dos metagranitos do Complexo Encantadas, Santana da Boa Vista, (RS): a evolução de uma margem continental ativa no Paleoproterozóico

Marcelo Lusa, Ruy Paulo Philipp, Lauro Valentim Stoll Nardi
2010 Revista Brasileira de Geociências  
Resumo O Complexo Encantadas é uma unidade Paleoproterozóica constituída por gnaisses tonalíticos, trondhjemíticos e dioríticos com presença subordinada de anfibolitos e rochas metaultramáficas ricas em hornblenda. Este complexo é cortado por corpos tabulares de metagranitos porfiríticos e equigranulares que se encontram posicionados ao longo de uma zona de cisalhamento dúctil de disposição suborizontal. Esta estrutura define o contato entre os Complexos Encantadas e Porongos, respectivamente,
more » ... , respectivamente, infra e supra-estrutura do Domo de Santana da Boa Vista. Os metagranitos têm composição cálcico-alcalina médio a alto-K e caráter levemente peraluminoso. A evolução como termos independentes indica que os metagranitos representam unidades petrológicas distintas, sendo afetados por processos de fracionamento de plagioclásio, biotita, zircão e apatita. Os metagranitos apresentam enriquecimento em ETRL e empobrecimento em ETRP, com valores elevados de Ba, Rb, Sr, U e Th, anomalias negativas de Nb e Ti, dispondo-se no campo das rochas geradas em ambientes de arco magmático. Os dados estruturais indicam que os metagranitos tiveram uma evolução complexa, e sua colocação é contemporânea ou anterior a D 1 e, portanto, de acordo com os dados geocronológicos disponíveis, sua idade situa-se próxima de 2.1 Ga, que é a idade presumível do metamorfismo da fácies anfibolito, interpretado aqui como um evento orogênico, provavelmente colisional. Os metagranitos porfiríticos e equigranulares juntamente com os gnaisses dioriticos, tonaliticos e trondhjemiticos do Complexo Encantadas constituem uma associação magmática gerada em ambiente de margem continental ativa, cujo magmatismo está associado a fontes mantélicas metassomatisadas por fluídos derivados de subducção litosférica durante o Paleoproterozóico. Palavras-chave: Granitos, Geoquímica, Milonitos, Complexo Encantadas, Paleoproterozóico, Terreno Tijucas. Abstract Geochemistry and petrology of porphyritic and equigranular metagranites of Encantadas Complex, Santana da Boa Vista (RS), southern Brazil: an evolution of active continental margin in the Paleoproterozoic. The Encantadas Complex is a Paleoproterozoic unit constituted by tonalitic, trondhjemitic and dioritic gneisses with rare presence of amphibolites and hornblende rich metaultramafic rocks. This complex is cut by tabular bodies of porphyritic and equigranular metagranites and are positioned along a ductile shear zone with suborizontal disposition. This structure defines the contact between the Encantadas and Porongos complexes, respectively, infrastructure and suprastructure of Santana da Boa Vista Dome. The metagranites have medium to high-K calc-alkaline composition and slightly peraluminous character. The evolution as independent terms indicates that metagranites represent distinct petrologic units, being affected by fractionating process involving plagioclase, biotite, zircon and apatite. The metagranites present enrichment in LRRE and decrease of HREE, with high values of Ba, Rb, Sr, U and Th, negative anomalies of Nb and Ti, falling in the magmatic arc granites field. Structural data indicate that metagranites had a complex evolution, and its emplacement is simultaneously or more ancient with D 1 event, according to disposable geochronological data, its age is nearly to 2.1 Ga. This age is interpreted as an orogenic metamorphic event, probably of collisional type. Porphyritic and equigranular metagranites together with gneisses of Encantadas Complex constitute an active continental margin arc association, whose magmatism is related to metassomatised mantelic sources affected by fluids derivative of lithosphere subduction during the Paleoproterozoic times.
doi:10.25249/0375-7536.2010402151166 fatcat:zuxfmtyci5dclk3f5hkb2nwhue