CHEW, Sing C. World Ecological Degradation: accumulation, urbanization, and deforestation, 3000 B.C. – A.D. 2000. New York: Altamira Press, 2001

Tereza Coni
2016 GEOgraphia  
Este livro trata da relação Cultura-Natureza através de um longo período da história, desde a Idade do Bronze (3000 B.C.) até A.D. 2000, fazendo uma retrospectiva das crises ambientais abordadas numa ampla extensão espacial. A obra permite ao leitor estabelecer importantes analogias entre os fenômenos da degradação ecológica observados nas civilizações antigas, modernas e contemporâneas, percebendo semelhanças e diferenças, o que facilita a reflexão frente às suas consequências no período atual
more » ... as no período atual e sobre o futuro do nosso planeta. Sing Chew, professor de Sociologia da Universidade Estadual de Humboldt, está focado em estudos abrangentes, interessado em como as civilizações desenvolvem suas relações com a natureza no seu processo produtivo. Para ele, a relação Cultura-Natureza resultou em grande degradação ecológica ao longo da história das civilizações. Seu argumento principal é que os problemas ambientais não são novos. Destaca-se por acrescentar o ponto de vista ecológico aos estudos e debates sobre a ascensão e queda das civilizações do globo e por se arriscar a fazer predições em relação o futuro do planeta. Para ele, a história das civilizações corresponde à história da degradação e das crises ecológicas. World Ecological Degradation é o primeiro livro de uma trilogia, o qual foi lançado em 2001. O segundo, The Recurring Dark Ages, foi publicado em 2006, e o livro Ecological Futures, em 2008. A primeira obra da trilogia, objeto desta resenha, é uma publicação de 217 páginas, das quais 33 são de referências bibliográficas, que se organiza em 9 capítulos. No primeiro capítulo, Ecological Degration over World History, Chew apresenta suas principais preocupações, premissas conceituais e os processos que ao longo da
doi:10.22409/geographia2016.v18i36.a13753 fatcat:jtzadqkz7vddnhsiqka3p7oc6u