Defesa do status fitossanitário de Área Livre de Moko da Bananeira em Santa Catarina

Fabiane Dos Santos, Geovane Pedro De Souza, Fabiana Alexandre Branco, Alexandre Mees, Ricardo Miotto Ternus, Janice Ebel, Júlio Vilperte, Clóvis Adriano Teixeira Paes, Agnaldo Trevisol dos Santos
2020 Agropecuária Catarinense  
A bactéria Ralstonia solanacearum raça 2, agente causal do Moko da Bananeira é uma praga quarentenária presente em alguns estados do norte e nordeste brasileiro, porém Santa Catarina possui a condição de Área Livre da Praga (ALP). O presente informativo técnico, descreve as ações de erradicação e delimitação de um foco da doença, ocorrido no município de Antônio Carlos (SC), região da grande Florianópolis, no ano de 2018. A ação assegurou a manutenção da Área Livre do Moko da Bananeira em Santa
more » ... Bananeira em Santa Catarina, com a eliminação de todas as plantas sintomáticas e adjacentes, localizadas na área perifocal e inspeções em bananeiras e helicônias num raio de cinco quilômetros.
doi:10.52945/rac.v33i2.485 fatcat:mak72gyt6fdibdmr7ljjjxzp5a