O BESTIÁRIO MEDIEVAL E A REPRESENTAÇÃO DERROGATÓRIA DO FEMININO: O EXEMPLO DO MANUSCRITO DE CAMBRIDGE

PEDRO CARLOS LOUZADA FONSECA
2008 Signótica  
RESUMO Na cultura medieval, os bestiários tratavam de animais das mais variadas espécies e natureza. Revelavam, de forma simbólica e figurativa, uma pragmática religiosa de caráter doutrinário e moral. O presente estudo tem por objetivo verificar que, consubstanciando essa intenção edificante, elementos e aspectos característicos da mentalidade e da cultura misógina da Idade Média configuramse nos bestiários em instâncias de um verdadeiro discurso de gênero que, a exemplo do manuscrito de
more » ... manuscrito de Cambridge (MS II. 4.26), coloca em perspectiva estratégica e ideológica a representação da imagem feminina de muitos dos seus animais tratados. PALAVRAS-CHAVE: bestiário medieval, misoginia, manuscrito de Cambridge. Que a relação entre língua e sociedade revela a existência de uma ideologia fixa com respeito à questão do gênero é uma idéia que hoje dificilmente pode ser contestada. A despeito dos tradicionais estudos que insistem na diferença sexual -interessados na perpetuação de uma mitológica divisão entre macho e fêmea, ou masculino e feminino -as distinções, hoje em dia consideradas, entre sexo (ou realidade biológica) e os padrões de comportamento que definem a expressão do gênero têm se tornado uma referência obrigatória para a análise e investigação da realidade social. Através das lentes do gênero, pode-se prontamente * Uma versão modificada deste estudo foi apresentada como comunicação no VI Encontro
doi:10.5216/sig.v18i1.3725 fatcat:oav6wh5vxnaxtet2mh3vdka2lm