EPIDOTE-BEARING CALC-ALKALIC GRANITOIDS IN NORTHEAST BRAZIL

ALCIDES NÓBREGA SIAL
1990 Revista Brasileira de Geociências  
RESUMO GRANITÓIDES COM EPÍDOTO MAGMÁTICO NO NORDESTE DO BRASIL. Um grande número de granitóides cálcio-alcalinos com epidoto são encontrados no Domínio Estrutural Central (DEC) -que compreende três segmentos: Seridó, Cachoeirinha-Salgueiro e Riacho do Pontal -e em algumas outras localidades no Nordeste do Brasil. No cinturão Cachoerinha-Salgueiro (CCS), granodioritos e tonalitos com epidoto, meta a peraluminosos, intrudiram fllitos há cerca de 620 Ma, enquanto no Seridó, uma maior variedade de
more » ... lutões com epfdoto fgneo intrudiu gnaisses Jucurutu ou xistos Seridó. Granodioritos com duas micas com (±) granada e epfdoto ígneo (?) intrudiram metassedimentos do Cinturão Riacho do Pontal. Epídoto magmático está também presente nos plutões trondhjemítícos e shoshonítícos -que intrudiram, respectivamente, xistos Salgueiro e rochas de embasamento ao longo do limite sul do CCS -bem como em plutões no Complexo Surubim-Caroalina e nos cinturões Pajed-Paraíba e Sergipano. E encontrado em quatro relações texturais, duas das quais indiscutivelmente magmáticas, e duas outras de reações subsolidus. No CCS, granitóides com epfdoto solidificaram-se geralmente em torno de 6 kbar -7 kbar, de acordo com seus teores de Al na homblenda. Pressões mais baixas obtidas para encraves quartzo -dioríticos são devidas à perda de Al através de reação subsolidus com plagioclásio, produzindo epídoto granular. Diferem de granitóides mesozóicos similares na América do Norte porque, embora suas pressões de solidificação sejam altas, eles intrudiram tanto metassedimentos da fácies xistos verdes como plutões paleozóicos na Argentina (Cadeias Pampeanas), Nova Inglaterra (área de Sherbrooke-Lewiston) e Nova Zelândia (Cadeia de Vitória). No CCS, estes granitóides exibem moderados Sr, Ba e Zr e baixo Nb (< 20 ppm); são enriquecidos em terras raras leves e empobrecidos em terras raras pesadas, com anomalia negativa de Eu variável. No Seridó (p. ex., o batólito de São Rafael), os granitóides são mais altos em Sr, com teores de Ba equivalentes àqueles dos granitóides do CCS, com Zr levemente mais alto e baixo Nb. Exibem padrões de terras raras menos inclinados e ausência de anomalia de Eu. No Riacho do Pontal, os granitóides exibem teores de Sr, Ba e Nb equivalentes aos observados no CCS, Zr duas vezes mais alto, e padrões de terras raras com inclinação negativa, sem ou com apenas discreta anomalia de Eu. Plutões com epfdoto no CCS exibem alto δ 18 O (11 permil -13 permil), e xenólitos de anfibolito exibem δ 18 O em torno de 10,5 permil. Plutões equivalentes no Seridó exibem valores de δ 18 O (6 permil -8 permil) levemente mais baixos do que os típicos para tonalitos e trondhjemitos no noroeste da América do Norte (7,5 permil -9,0 permil; p. ex., Complexo de Hazard Creek, Idaho). Isto demonstra que plutões com epídoto podem formar-se a partir de mais de um tipo de material fonte, geralmente com a presença de um componente no magma derivado de sedimentos ou rochas vulcânicas. Processos levando à sua formação são repetidos através do tempo geológico em diferentes níveis crustais.
doi:10.25249/0375-7536.199088100 fatcat:dfyxdre5o5dg5ikkshb4klmzka