Conectividades plenas redimensionam a comunicação contemporânea

Sebastião Carlos de Morais Squirra
2017 Palabra Clave  
Resumo A comunicação é um recurso intrínseco à condição humana e, por isso, é largamente estudada. Neste texto, trabalhamos com o princípio de que a comunicação na essência se constitui como um processo neurológico que tem sua gênese e nicho de existência no cérebro das pessoas. Assim, a partir das mensagens absorvidas pelos canais da sensibilidade humana, o processo biológico direciona informações para a decodificação e interpretação nesse importante órgão. Nosso estudo tem metodologia baseada
more » ... metodologia baseada em modelo investigativo interdisciplinar e centra-se em referências bibliográficas e no que já é cientificamente comprovado na neurociência. Dessa forma, e ao cruzar com autores da comunicação, indagamos se em determinado momento o acesso aos produtos comunicativos poderá se concretizar no cérebro humano e superar a histórica mediação das mídias físicas. Ao alargar os referenciais teóricos, amparamo-nos também em autores da física e da biologia, sobretudo nas conquistas das investigações neurobiológicas que, somadas à incessante miniaturização tecnológica, alicerçam pressupostos científicos que nos permitiram adentrar a impensada possibilidade comu-1 Universidade Metodista de São Paulo, Brasil. sebastiao.squirra@metodista.br
doi:10.5294/pacla.2017.20.1.8 fatcat:7myhtckztbhplbe2iazl25gtuq