O indivíduo, a educação e a crise econômica segundo Karl Marx

Fernando Frota Dillenburg
2013 Revista Dialectus  
Procuramos mostrar neste artigo como Marx descreve, em O capital, o desenvolvimento dos indivíduos, assim como a relação destes com a educação e com a crise do capital. No início d'O capital os indivíduos encontram-se totalmente enfeitiçados pela mercadoria e pelo dinheiro. Na seção II eles já aparecem como representantes de classes sociais, o capitalista e o proletário, mas ainda totalmente submetidos ao movimento de auto-valorização do valor, isto é, o movimento do capital. No entanto, os
more » ... No entanto, os proletários vão, aos poucos, por meio da luta de classes, desvelando os enigmas que encobrem as verdadeiras relações entre as classes, até descobrir, no capítulo XXIV, a origem da propriedade privada capitalista. O proletariado torna-se, então, uma classe revolucionária mostrando-se capaz de realizar a expropriação dos expropriadores. O Livro I expressa, assim, o processo da luta de classes através do qual o proletariado poderá, caso consiga percorrer este árduo percurso, sair das trevas nas quais se encontra em sua vida cotidiana e passar a se organizar enquanto uma classe que compreende e põe em prática um programa revolucionário. A vivência do proletariado na luta contra o capital é descrita por Marx como um processo educativo. Depois de realizar uma primeira totalização no Livro I, uma totalização ainda abstrata, Marx retoma no Livro II o domínio do capital sobre os indivíduos. Nos Departamentos I (produtor de meios de produção) e II (produtor de meios de subsistência), o capital se relaciona consigo mesmo, a ponto de conduzir a si próprio a crises cada vez mais profundas. No Livro III, Marx mostra que as contradições internas do próprio capital, isto é, as contradições da luta de classes, geram uma tendência à crises econômicas, que se tornam inevitáveis no capitalismo. Nesse Livro III Marx inclui mais uma terceira classe social: além da classe capitalista (que vive do lucro) e da classe trabalhadora (que vive do salário), aparece a classe dos proprietários fundiários (que vive da renda da terra). No capítulo LII, capítulo inacabado, Marx pretendia expor a luta de classes como fundamento dos três livros e de todo o modo de produção capitalista.
doi:10.30611/2012n1id5161 fatcat:f7vyp357bvfrbggpszdz2rjypa