LIBERDADE: UMA DISPUTA ÉTNICA

Rafael De Almeida, Serra Dias
unpublished
RESUMO: As cidades são o principal palco dessas transformações, São Paulo como a maior cidade do país é também a cidade que recebe mais imigrantes. Há alguns anos, por iniciativa do poder público e da associação dos comerciantes do bairro, a Liberdade foi construída como sendo o bairro étnico dos japoneses. Imagem esta, sempre reafirmada em festas, cartões postais e tantas outras representações. Porém, por diversas questões, este bairro, começou a receber outros tipos de imigrantes
more » ... rantes principalmente chineses e coreanos. Desde 2006 passou a ser organizado no bairro da Liberdade, a comemoração do ano novo chinês, num momento de clara afirmação e de disputa étnica entre os dois grupos de imigrantes. Como a revista elabora a formação do bairro e a importância dos japoneses para a cidade de São Paulo é o tema desse artigo, que pretende analisar os conflitos envolvendo a memória da cidade, e de como se tenta legitimar o espaço deste bairro por meio de discursos que atribuem o espaço publico aos japoneses, relegando os outros a outro lugar. Acredita-se na vertente da historiografia moderna que tem destacado a imprensa como instrumento de manipulação de interesses, concebendo-a como agente da história que ela também registra e comenta. Palavras chaves: cidade, imigrantes, memória e imprensa. ABSTRACT: The cities are the main stadium of these transformations, São Paulo as the biggest city of the country is also the city that receives more immigrants. A few years ago, an initiative from the public power and from the traders' association from the neighborhood, Liberdade was constructed as being the ethnic neighborhood of Japanese people. This image was always reinforced in postal cards, parties and many other representations. However, for varied questions, this neighborhood has started receiving other ethnics, mainly Chinese and Korean immigrants. Since 2006 it has been organized in Liberdade neighborhood the celebration of the Chinese New Year, at a moment of clear affirmation and of an ethnic dispute between these two groups of immigrants. How the magazine develops the increase of the neighborhood and the importance of the Japanese people in São Paulo is the theme of this article, that intends to analyze the conflicts involving the memory of the city, and how the magazine tries to legitimize the space of Liberdade's neighborhood by with speeches which attribute that the public spaces belong to the Japanese people, relegating the others to another place. It is given credit the basis of the modern historiography that has detached the press as an instrument of interests' manipulation, conceiving it as agent of the history that itself also registers and comments.
fatcat:3zzzzuxp6zbgtnqpi4bh5kiqli