Consumo de alimentos ultraprocessados e estado nutricional de acadêmicos do curso de nutrição

Naisa Stefany Rodrigues Macedo, Isabela Caroline Magalhães Soares, Samara Cardoso de Jesus, Eryka Jovânia Pereira, Ronilson Ferreira Freitas
2020 Revista Brasileira de Obesidade, Nutrição e Emagrecimento  
Introdução: O ingresso na universidade causa alterações no estilo de vida da sociedade e induzem alterações nos hábitos alimentares com repercussão na qualidade de vida e saúde dos estudantes. Objetivo: Avaliar o consumo de alimentos ultraprocessados e estado nutricional de acadêmicos do curso de nutrição. Materiais e Métodos: Estudo de caráter descritivo, transversal, quantitativo, realizado mediante aplicação de Questionário de Frequência Alimentar. Resultados: A amostra foi composta por 145
more » ... i composta por 145 acadêmicos de nutrição, com média de idade 23,30 ± 4,70. O do sexo feminino apresentou maior prevalência (85%). As informações do estado nutricional, revelaram que 27,6% dos participantes apresentavam sobrepeso e obesidade. Quanto ao consumo de alimentos ultraprocessados, identificou- se a prevalência no consumo de salsicha, linguiça, bacon/toucinho e mortadela. O consumo de maionese, batata frita, pizza, balas, pirulitos e chicletes também se mostraram habituais. Conclusão: Apesar de se tratar de futuros profissionais detentores de conhecimento da ciência nutricional, o presente estudo conclui- que os acadêmicos do curso de graduação em Nutrição apresentam hábitos alimentares inadequados, contrariando as perspectivas de adesão ao estilo de vida saudável. Deste modo, torna- se necessário a instituição de discussões acerca desta temática e a importância de se introduzir o conhecimento adquirido no cotidiano e o autocuidado alimentar.
doaj:92289adafe194d26bafa661728f23bbb fatcat:43mim2bezvgjdezlooee362nie