REVISTA DE HOMEOPATIA. 2014; 77 (3/4): 29 29 APLICAÇÃO CLÍNICA DE BIDENS PILOSUS COM BASE NUMA MEMÓRIA EXPERIMENTAL ATRAVÉS DA AUTOPATOGENESIA

Sabrina De Oliveira, Antônio, C Da Cruz, Mônica Beier, Gabriela Rabello, Ítalo, M Astoni Júnior
unpublished
Foi no Organon da Arte de Curar que Samuel Hahnemann considerou a autopatogenesia como o procedimento de excelência para o conhecimento das substancias simples dinamizadas com intuito de tratar as doenças naturais [1]. Para este fim recomendou um provador sensível, de hábito moderado, amante da verdade e destituído de preconceitos [1]. É no modo do próprio experimentador, de pensar e de sentir, que encontraremos o necessário e o suficiente para ser conhecido e usado na clínica. Essa certeza não
more » ... a. Essa certeza não o enganará, pois ele conhecerá de acordo com sua própria verdade individual. Este trabalho objetiva demonstrar a importância para a terapêutica homeopática do manuseio certo e sem preconceitos de uma memória experimental, uma síntese semelhante proveniente da autopatogenesia. Os registros da Bidens pilosus e um caso clínico, foram utilizados para demonstração da escolha e da eficácia do medicamento homeopático, com base numa memória experimental sintética e semelhante. O provando foi submetido a olfação, 1 vez, de um frasco contendo 1 glóbulo de sacarose nº 7 de Bidens pilosus 30cH e registrou seus sintomas, que em síntese foram: sair para fora, fúria e euforia, dificuldades na fala, agarrado, desejo de escapar, medo do escuro, gases encarcerados, secreções agarradas. O caso evocativo foi reconhecido através de sensação de estar enrustida, desejo de sair, de dar vazão, medo de escuro, claustrofobia. Após uma dose única de Bidens pilosus 30cH, a paciente experimentou ampliação de consciência de virtude, mudanças reativas, melhora sintomática e exercícios de vitalidade [2]. Concluiu-se que experimentar medicamentos com todos os cuidados orientados por Hahnemann é atividade inadiável que aguarda a adesão dos homeopatas para a promoção de si mesmos e da fidedignidade terapêutica. Referências 1. Hahnemann S. Organon da arte de curar. 6ª ed. São Paulo: Robe; 1996. 2. Hahnemann S. Doenças crônicas sua natureza peculiar e sua cura homeopática. 4ª ed. São
fatcat:qbrvdjm73vc6bln2xunfyjho4m