Hipertireoidismo clínico em paciente com mola hidatiforme: relato de caso

Elis Camara Francischetto, Laís Veiga Campanharo, Alice Fernandes de Carvalho, Rubens Bermudes Musiello, Rachel Torres Sasso, Antônio Chambô Filho, Carmen Dolores Gonçalves Brandão
2021 Revista de Medicina  
Introdução: A doença trofoblástica gestacional (DTG) constitui um grupo de doenças responsável pela produção de elevados títulos de hCG, podendo levar a possíveis complicações como hipertireoidismo e, em situações mais graves, a crise tireotóxica. O hipertireoidismo está presente em apenas 5% dos casos de DTG, sendo importante seu diagnóstico precoce. Relato de Caso: Paciente feminina, 49 anos, G6PC2A3, apresentou-se no pronto socorro relatando sangramento vaginal irregular por 4 meses,
more » ... se, irritabilidade, tremores, palpitações, xerostomia e histórico de abortos de repetição. Ao exame ginecológico, notou-se sangramento em borra de café através do orifício externo do colo uterino, e ao toque bimanual, massa pélvica acima da cicatriz umbilical. USG/TV mostrou volume uterino de 1302 cc³ e imagens correspondentes à DTG. TSH e T4L de 0,015 mU/L (VR: 0,4 – 4,5 mU/L) e 2,34 ng/dL (VR: 0,7 – 1,8 ng/dL) respectivamente, e dosagem plasmática do BhCG > 225.000 mUI/mL. Ao exame físico, demonstrou tireoide discretamente aumentada de consistência parenquimatosa e reflexo aquileu pouco exaltado. Ausência de histórico familiar para tireoidopatias e rastreio dos anticorpos anti-TPO, anti-TG e TRAb negativo. A paciente foi submetida a Aspiração Manual Intrauterina (AMIU). Em razão da manutenção dos níveis elevados de BhCG, foi solicitado nova USG/TV cujo resultado sugeriu DTG. Devido ao alto risco de neoplasia, ausência de focos metastáticos e prole constituída, optou-se por realizar histerectomia total abdominal, com salpingectomia bilateral e preservação dos ovários bilateralmente, como forma de tratamento. O TSH normalizou em 0,5 mU/L após procedimento cirúrgico. O histopatológico evidenciou Mola Invasora. Conclusão: Doenças que cursam com elevação do hCG podem levar a um quadro de hipertireoidismo secundário. Apesar desta patologia estar presente em apenas 5% dos casos de DTG, o médico não pode ignorar a importância de sua investigação para um diagnóstico precoce, com vistas a evitar complicações mais severas como por exemplo, a crise tireotóxica.
doi:10.11606/issn.1679-9836.v100i1p84-89 fatcat:tdjdgyqr6rda7kc233xppl6bq4