Parques públicos municipais de São Paulo: a ação da municipalidade no provimento de áreas verdes de recreação [thesis]

Vladimir Bartalini
Apenas para distribuição e pesquisa Agradecimentos É grande o número de pessoas amigas e familiares a quem devo agradecer pela ajuda que me prestaram durante a elaboração da tese, seja pelo apoio moral, seja pelo apoio intelectual, ou por ambos. Na impossibilidade de mencionar todas, devo me ater àquelas que, sem deixarem de ser amigas e de me apoiarem moralmente, tiveram também uma participação objetiva no desenvolvimento deste trabalho. Agradeço, pois, ao orientador da tese, professor Flávio
more » ... , professor Flávio Villaça, por ter me aceitado como orientando e proporcionado a ampliação dos meus conhecimentos, ao me convidar para participar do grupo de estudos que se reunia com ele quinzenalmente. Agradeço, da mesma forma, aos colegas do grupo de estudos por terem me auxiliado, direta ou indiretamente, na preparação da tese. Agradeço à Pontifícia Universidade Católica de Campinas pelas bolsas de auxílio à capacitação docente que me concedeu. Agradeço, ainda, às professoras Maria Cristina da Silva Leme e Yvonne Mautner, membros da banca de qualificação da tese, pelas contribuições que na ocasião me ofereceram. À Silvana Zioni pela indicação, muito oportuna, das fontes bibliográficas para as questões de estatística. Ao Departamento de Parques e Áreas Verdes -DEPAVE, nas pessoas de Regina Fátima de Matos Fernandes, diretora do DEPAVE 1, e de Cícero Valim, responsável pela Seção Técnica de Desenho -DEPAVE 14, que permitiram o acesso ao arquivo de projetos do Departamento, e aos colegas que trabalham ou trabalharam no DEPAVE, que se dispuseram a conceder entrevistas. Ao Quadro de Paisagismo no Brasil -Projeto QUAPÁ, na pessoa do professor Sílvio Soares Macedo que permitiu o uso de desenhos ali produzidos, para ilustrar trechos da tese. A Guilherme de Toledo, responsável pela diagramação e artes gráficas, e a César A. E. Assis, que o auxiliou nos desenhos. A Maurício Maranhão Sanches pela plotagem, em mapas, dos dados da pesquisa de campo. À equipe de campo formada por Pimenta e Maurício Maranhão Sanches. À Adriana Pardini, pela revisão do Abstract. À Célia pela compreensão, pelos comentários e pela revisão do texto. À minha mãe e à memória de meu pai Resumo A ação da municipalidade de São Paulo no provimento de áreas verdes de recreação foi investigada desde o final do século XIX, quando se criou um órgão administrativo específico para tratar das áreas verdes municipais, até os dias de hoje. Este intervalo de tempo foi subdividido em períodos marcados por mudanças na organização, nas atribuições e na produção deste órgão e também por mudanças nos hábitos e nas necessidades de lazer da população. A análise se deu em torno de quatro variáveis, tratadas sistematicamente em cada período, quais sejam: as formas de lazer nas áreas verdes da cidade; a organização administrativa para atender às demandas por áreas verdes de lazer; a produção de áreas verdes pelo poder municipal; planos e projetos de áreas verdes de recreação. Para analisar o desempenho da Prefeitura no período mais recente, fizeram-se entrevistas com os freqüentadores de oito parques municipais: Aclimação, Anhanguera, Carmo, Guarapiranga, Ibirapuera, Luz, Piqueri e Previdência. Concluiu-se que o provimento de áreas verdes de lazer pela Prefeitura se deu de maneira irregular, sem planejamento e por decisões que escapavam ao controle do órgão administrativo competente. Viu-se também que a maior parte da produção dos projetos se deu distanciada dos debates programáticos e estéticos contemporâneos a cada período considerado. A pesquisa de campo realizada com os freqüentadores dos oito parques selecionados mostrou a importância que a maior parte deles atribui aos valores paisagístico-ambientais dos parques, revelando ao mesmo tempo que a falta de cuidado com o ambiente do parque como um todo, as falhas de manutenção de espaços ou equipamentos específicos e a falta de segurança, são os aspectos que mais os incomodam nos parques municipais. Abstract The performance of the Municipality of São Paulo in providing green recreation areas, was investigated from the end of 19 th century when the Administration of Public Gardens was created to our days. This period encompasses smaller periods which correspond to changes in the way the later named Department of Parks and Green Areas answered to the claim for green recreation areas. The users' habits have changed as well during this time. The analysis was done taking into account four aspects that suffered changes: the habits os leisure in green areas; the Municipality organization to meet the demand for green recreation areas; the actual production of the Municipality throughout this century; plans and projects for public green areas. To evaluate the Municipality performance nowadays, interviews have been done with users of eight municipal parks. The conclusion is that the provision of public green recreation areas by the Department of Parks was done in an irregular way, without any planning, at the mercy of eventualities and oppotunities. It was also concluded that the production of municipal parks was done without considering contemporary debates about park programs and design. The research with park users showed that the most important reason why they go to parks is the landscape and "atmosphere". Another finding shown by this research is that users are critical of the lack of concern found there and the absence of maintenance and safety observable in such parks. Introdução 1 Capítulo 1 As áreas verdes de recreação na segunda metade do século XIX 15
doi:10.11606/t.16.1999.tde-21032014-145505 fatcat:5n5a4zaewrhjxmekhvvfskqk6e