E fez-se luz na cegueira *

Luzia Aparecida, Berloffa Tofalini
ANTARES   unpublished
Resumo No romance Ensaio sobre a cegueira, de José Saramago, a contraposição polifônica e os problemas individuais concorrem para a (des)construção de identidades, apresentando-se numa nova configuração de escrita que se caracteriza principalmente pela fragmentação do sujeito e que passa pelo entrelaçamento com diversas áreas: psicologia; antropologia, filosofia; sociologia. As personagens são destituídas de identidade pessoal e assumem identidades coletivas ao imergirem numa vida repleta de
more » ... venções. Assim, este estudo investiga os modos de escritura modalizados pela angústia humana, gerada pela dialética entre essência e aparência, além dos processos de humanização que reagem contra relativismos, determinismos estruturais e reducionismos empobrecedores da complexidade humana. Na convergência e divergência das vozes romanescas, transparece o caráter denunciatório da narrativa. São denúncias relacionadas ao estado geral de degradação, manifestado por meio de uma variedade de técnicas utilizadas, tais como a remetência a metáforas, símbolos, alegorias e imagens. A narrativa instaura uma realidade e obriga a uma reflexão sobre os problemas que cercam a existência humana. Palavras-chave Romance; José Saramago; símbolos; identidade. Abstract In the novel Blindness, by José Saramago, the polyphonic contraposition and the individual problems further to the (des)construction of identities, presenting itself in a new configuration of writing that characterizes itself mainly by the fragmentation of the self and passes by the interlacement with different areas: psychology; anthropology, philosophy; sociology. The characters are devoid of personal identity and admit collective identities when they immerge in a life full of conventions. Thus, this study investigates the modalities of writings represented by the human anguish, generated by the dialectic between essence and appearance, besides the processes of humanization that react against relativisms, structural determinisms and reductionisms which impoverish the human complexity. On the convergence and the divergence of the romance voices, the denunciatory character of the narrative appears. Those denounces are related to the general state of degradation, manifested through a variety of techniques utilized, such as the reference to metaphors, to symbols, to allegories and to images. The narrative institutes a reality and obliges one to reflect about the problems that surround the human existence.
fatcat:4uuafkuklrctpnugerk5qj6cti