Literacia em saúde de estudantes universitários portugueses de cursos da área da saúde oral

Mónica Vasconcelos, Faculdade de Medicina Dentária, Universidade de Lisboa, Lisboa, Portugal, Henrique Luís, Sónia Mendes, Unidade de Investigação e Ciências Orais e Biomédicas (UICOB), Faculdade de Medicina Dentária, Universidade de Lisboa, Lisboa, Portugal, Unidade de Investigação e Ciências Orais e Biomédicas (UICOB), Faculdade de Medicina Dentária, Universidade de Lisboa, Lisboa, Portugal
2022 Revista Portuguesa de Estomatologia, Medicina Dentaria e Cirurgia Maxilofacial  
Objetivos: Estudar a literacia em saúde dos estudantes do 3.º ano da Faculdade de Medicina Dentária da Universidade de Lisboa e relacioná-la com os seus dados demográficos, comportamentos, autoperceção e estado de saúde oral. Métodos: Foi realizado um estudo observacional, analítico e transversal. A recolha dos dados incluiu um questionário, uma observação intraoral e uma entrevista. O questionário recolheu informação sobre os dados demográficos e comportamentos dos estudantes. Na entrevista
more » ... aplicada a versão portuguesa do instrumento Newest Sign Vital (NSV-Pt) para o estudo da literacia em saúde. A observação intraoral incluiu o diagnóstico de cárie segundo os critérios do Internacional Caries Detection and Assessment System (ICDAS II). A análise estatística incluiu a estatística descritiva e foram utilizados os testes de qui-quadrado, Mann Whitney e Kruskal Wallis com um nível de significância de 5%. Resultados: A amostra foi constituída por 92 estudantes. A média de respostas corretas ao NSV-Pt foi 4,87 (dp=1,15). Nenhum estudante teve elevada probabilidade de literacia em saúde limitada e 87,6% dos estudantes revelaram ter uma literacia em saúde adequada. Verificou-se uma associação estatisticamente significativa entre a literacia em saúde e a frequência de visita à consulta de saúde oral (p=0,04). Conclusões: A maioria dos estudantes apresentaram uma literacia em Saúde adequada. Os estudantes que frequentaram mais frequentemente o profissional de saúde oral apresentaram piores níveis de literacia em saúde.
doi:10.24873/j.rpemd.2022.06.866 fatcat:jdqbwra5ezaovbxufya42t5cdy