Artrodese da coluna lombossacra com o implante A-Systems

Afrane Serdeira, Tarcísio Eloy Pessoa de Barros Filho, Eduardo Puertas, José Laredo Filho, Rodrigo Di Mare Arbo, Alexandre M. Glass
2004 Acta Ortopédica Brasileira  
Foram avaliados 40 pacientes com espondilolistese e instabilidade lombossacra: 13 pacientes do tipo ístmica-lítica, 19 do tipo degenerativa, 2 pacientes do tipo traumática, 1 tipo do patológica, e 5 do tipo cirúrgica, nos quais foram realizadas 40 artrodeses da coluna lombossacra com enxerto ósseo e fixação metálica com o implante A-Systems. A avaliação dos pacientes foi realizada clínica e radiograficamente, nos períodos pré-operatório, pós-operatório imediato e pós-operatório tardio. O tempo
more » ... io tardio. O tempo de acompanhamento clínico máximo foi de 46 meses, o mínimo de 10 meses, obtendo-se um acompanhamento médio de 11 meses. A avaliação global tanto do ponto vista do paciente como da equipe médica mostrou que: 36 (90%) dos pacientes obtiveram bom resultado; três pacientes (7,5%) apresentaram melhora em relação ao pré-operatório e um paciente (2,5%) não obteve melhora. Vinte e nove pacientes (72,5%) tiveram sua capacidade de trabalho normalizada, nove (22,5%) pacientes tiveram sua capacidade melhorada em 75% e dois (5%) pacientes tiveram a capacidade melhorada em 50%. Vinte e um pacientes (52,5%) tiveram o índice de Prolo aumentado entre 9 e 10 (excelente); 14 (35%) tiveram índice de Prolo aumentado para 7 e 8 (bom); em 5 (12,5%) o índice ficou entre 5 e 6 (regular) e nenhum paciente teve índice 2, 3 ou 4 (mau). O tempo médio de retorno para as atividades normais variou de três a doze meses, com uma média de sete meses. Em comparação com métodos similares relatados pela literatura, o implante mostrou-se tão eficiente quanto eles, com as vantagens da simplicidade, da possibilidade de ser usado em vários níveis e da rigidez após montado.
doi:10.1590/s1413-78522004000400004 fatcat:2hatipbxvbbjranw3pe6iy6254