Prevalência de fatores de risco de suicídio em uma população de idosos no sul de Santa Catarina: Um estudo de base populacional

Zuleide Maria Ignácio, João Paulo Behenck, Talita Reis Cortez, Amanda Gollo Bertollo, Luciano Kurtz Jornada, Renan Antonio Ceretta, Luciane Bisognin Ceretta, João Luciano de Quevedo, Gislaine Zilli Réus
2019 Brazilian Journal of Development  
RESUMO A idade da população vem aumentando de forma relevante no mundo e no Brasil. Com o aumento da idade da população, aumentam também as preocupações e cuidados com relação aos riscos de suicídio, associados a fatores biopsicossociais envolvidos no avanço da idade. Este estudo teve como objetivo avaliar a prevalência do risco de suicídio em uma população entre 60 e 79 anos. Método: Estudo transversal com base de dados populacionais, que avaliou 1.021 idosos. Foram realizadas entrevistas
more » ... as entrevistas domiciliares com a versão em português do Mini International Neropsychiatric Interview (MINI), bem como coleta de dados sociodemográficos e clínicos. O risco foi classificado em ausente ou presente, e ainda em leve, moderado ou grave. Resultados: O risco de suicídio foi classificado como presente em 26 indivíduos (2,5% da amostra), 22 tinham risco leve e 4 foram classificados como risco moderado. A média de idade dos pacientes que apresentavam risco de suicídio foi superior ao dos que não apresentavam. Os fatores de risco encontrados foram não ter companheiro, transtorno de humor, ex-tabagista, comparado com quem nunca fumou, sendo que o tabagismo atual não foi fator de risco. Não tiveram associação com risco de suicídio: gênero, escolaridade, hipertensão arterial sistêmica e infarto agudo do miocárdio, colesterol total e transtorno de ansiedade. Conclusões: Os dados demonstram que o risco de suicídio em idosos da comunidade é expressivo e está em consonância com resultados de outras pesquisas no Brasil e sul do Brasil. O risco aumenta com a idade, ausência de companheiro e transtorno de humor, corroborando dados da literatura científica nacional e internacional. Palavras-chave: Suicídio, idosos, fatores de risco, transtorno do humor. ABCTRACT The age of the population has been increasing significantly in the world and Brazil. As the population ages, thus do the concerns and cautions about the risks of suicide, associated with biopsychosocial factors involved in advancing age. This study aimed to evaluate the prevalence of suicide risk in a population between 60 and 79 years. Method: A cross-sectional population-based study, which evaluated 1,021 older adults. Home interviews were conducted with the Portuguese version of the Mini International Neuropsychiatric Interview (MINI), as well as the collection of sociodemographic
doi:10.34117/bjdv5n12-155 fatcat:hjxobf5vlze4bhlwyriww2nrc4