A PLURALIDADE COMO EXPRESSÃO DE LIBERDADE

Eleonôra Torres Prestrelo
2013 Estudos e Pesquisas em Psicologia  
Quem sou eu? Sei que sou muitos. Quem me ensinou isso foi um Demônio velho, o mesmo que ensinou psicologia a Jesus. Quando Jesus lhe perguntou 'Qual é o teu nome?', ele respondeu, numa mistura de verdade e gozação: 'Meu nome é Legião porque somos'. Coisa maluca: o 'eu', singular na gramática, é plural na psicologia. Eu sou muitos. Tem-se a impressão de que se trata da mesma pessoa porque o corpo é o mesmo. De fato o corpo é um. Mas os 'eus' que moram nele são muitos. Rubem Alves Editar uma
more » ... ves Editar uma revista de Psicologia, de certa forma, é lidar com a perspectiva do "Demônio velho" apontada por Rubem Alves, escritor, intelectual, psicanalista e professor -expressões de seus muitos "eus". Editar, no caso, uma revista de Psicologia que se pretende veículo de reflexão dos dizeres e fazeres de uma psicologia contemporânea: plural, diversa em seu objeto de estudo, rica na profusão de olhares que se entrelaçam, opõem, repõem seu caráter originário -denominado por Garcia Roza (1977) de espaço de dispersão do saber. Caráter que nos aponta para o fato de não se poder delimitar um espaço nítido de domínio do que seja o saber psicológico, dado não se poder falar em uma contemporâneo nos mostra a diversidade, a convivência com a diferença, não mais como fenômeno de exclusão e sim como complementaridade. E, no âmbito desse convívio, concordo com o autor citado, que defende "Que poderíamos escrever várias histórias da psicologia, tendo, cada uma delas, pleno direito à existência" (p.26).
doaj:41713b0455214cf7ba8c58455a9a76c9 fatcat:34ckyusrx5cvbpzduv3zoyh6ou