O Saara: a paisagem e os homens - Teatro africano em língua inglesa - A imprensa na Coréia

Renê Gardi
1976 Afro-Ásia  
abastecimento de água nos oásis, Editions Sequoia, Paris -Bru-através dos "foggaras", escreve SOxelles -Berne -1970. bre as Tuareg, sobre as camelos, peça essencial na paisagem árida. as Estamos diante de um livro de divulgação. Todavia um belo livro, uma autêntica obra de arte. Seus autores não são especialistas de renome sobre o Saara. Nem pretenderam escrever um trabalho de alto nível científico. Objetivaram sim, propiciar ao grande público uma visão válida e realista do grande deserto.
more » ... pleta, diriamos; talvez mesmo insuficiente, caso fosse outra a sua intenção. Dentro do plano que traçaram, contudo, o êxito foi completo. Não haverá quem, após a leitura da obra, não se sinta fami!iarizado com O Saara, sua paisagem física, a vida animal que o anima, o seu passado e os homens que nele habitam. Magníficas as fotografias em cores que compõem a parte fundamental do livro. São elas, na maior parte de autoria de Rene Gardi, que também se encarregou de escrever duas das cinco partes em que se divide o texto da obra. Karl Suter, Alexander Wandeler e Hans Rothert escreveram as restantes. René Gardi trata dos .aspectos atuais do deserto, surpreendendo-o na sua fase de transição para uma eccnomia moderna, graças a descoberta e exploração do petróleo; mas também retraça, ainda que de modo extremamente sumário, a história da descoberta do Saara. Fala-nos a respeito das doenças endêrnicas no seio das populações saarianas, descreve o sistema de salinas do deserti, na Sua importáncia histórica e atual. E conta-nos ainda a história da descoberta do Saara, a partir das referências encontradas na obra de Herodoto, passando pelo que dele disseram os autores romanos e os viajantes árabes, para chegar as descrições feitas pelos europeus, desde o genovês Malfante até os grandes exploradores do Século XIX, entre outros Caillié, Mungo Park, Barth, Horenmann, Duveyrier e Nachtigal. Já Karl Suter, professor na Universidade de Zurich, fala sobre a geografia do Saara. Descreve o seu clima, o seu relevo, fala dos recursos hídricos, a economia dos oásis e finalmente sobre as populações saarianas. Acentua a importáncia do nomadismo na vida da região e informa-nos sobre os tipos de habitação utilizadas. Fala também das aglomerações humanas, decadentes, em grande parte, mas por vezes, conhecendo um novo florescimento, como acontece, por exemplo, com Ouargla, em função da exploração das jazidas de petróleo e Ghardaia. E finaliza realçando a importáncia das riquezas do subsolo de Saara, capazes de motivar grandes modificações na paisagem por tantos anos quase móvel do grande deserto. Sobre a fauna do ,Saara fala-nos a seguir Alexandre Wandeler, tanto acerca dos mamíferos, como das aves e dos répteis.
doi:10.9771/aa.v0i12.20791 fatcat:cspza74ipvdw7j4lqlwzdnxhne