Discursos e sentidos da participação popular em um centro de saúde de Belo Horizonte

Paula F. Furbino Bretas, Luiz Alex Silva Saraiva
2014 Revista Eletrônica de Ciência Administrativa  
FACECLA | Campo Largo -PR, Brasil. RECADM | v. 13 | n. 2 | p. 203-218 | Maio-Ago/2014. DISCURSOS E SENTIDOS DA PARTICIPAÇÃO POPULAR EM UM CENTRO DE SAÚDE DE BELO HORIZONTE Resumo O objetivo neste artigo é identificar quais e como os sentidos sobre a participação popular são construídos por diferentes atores sociais relacionados a um centro de saúde de Belo Horizonte. Desde 1988, a temática da participação popular vem ganhando espaço de debate nas políticas públicas. Contudo, alguns autores
more » ... alguns autores questionam se essa participação ocorre como forma de discussão e deliberação, ou se apenas é utilizada como fachada para apresentação de propostas já concebidas pelos administradores dos órgãos públicos. Os instrumentos de coleta utilizados foram entrevistas semi-estruturadas e grupo focal, tendo sido os dados analisados à luz da análise crítica de discurso. As conclusões sugerem que os diferentes sentidos atribuídos à participação popular dirigem aos gestores desafios relacionados a lidar com distintas expectativas no cotidiano do centro de saúde. Palavras-chave Discursos. Sentidos. Participação popular. Centros de saúde. Belo Horizonte. DISCOURSES AND SENSES OF POPULAR PARTICIPATION IN A HEALTH CENTER FROM BELO HORIZONTE Abstract Our goal in this paper is to identify what and how senses of popular participation are built by different social actor related to a health center of Belo Horizonte. Since 1988, popular participation theme has been developed and gaining space in public policy debate. However, some authors argue if this participation occurs as a way of discussion and deliberation or if is just used as a fachade to presentation of proposals already conceived by public managers. Collect data tools used were semi structured interviews and focus group. Data were analyzed through critical discourse analysis. Conclusions suggest that different senses related to popular participation challenge public managers to deal, daily, with different expectations at health center. Discursos e sentidos da participação popular em um centro de saúde de Belo Horizonte http://revistas.facecla.com.br/index.php/recadm/ FACECLA | Campo Largo -PR, Brasil. RECADM | v. 13 | n. 2 | p. 203-218 | Maio-Ago/2014. contexto organizacional (Schroeder, 2006), como variável identificada no processo strategizing (Montenegro & Bulgacov, 2009) e, ainda, como ferramenta para considerar os aspectos culturais na aprendizagem (Maravalhas, 2010). Mas, o que é o sensemaking? Vieira e Fonseca (2009, p. 2) resumem sensemaking "como uma atividade que o ator organizacional realiza de observação, interpretação e compreensão do mundo exterior, inferindo-lhe sentidos lógicos advindos do uso de esquemas anteriores". Weick, Sutcliffe e Obstfeld (2005) o definem como um significativo processo de organizar, de desenvolver imagens do que as pessoas estão fazendo. A partir desse processo, o sujeito confere sentido do que está ao seu redor na organização, a todo momento, para que as suas ações se tornem possíveis (Montenegro & Bulgacov, 2009) . Quando o mundo é percebido diferente do esperado ou quando não há maneiras óbvias para envolver o mundo, o sujeito busca ordená-lo com plausibilidade. Como um sistema de trocas permanentes, existem inputs ambíguos, outputs com sentido, resultando em um mundo ordenado para aquele indivíduo perante aquela situação (Weick, Sutcliffe, & Obstfeld, 2005) . Assim, o sensemaking é um processo no qual se busca compreender um problema, com base em experiências anteriores e interação com o grupo, de forma a encontrar uma decisão possível (Borges, 2010) . E como isso acontece? O processo de sensemaking, cuja ideia apropria processos da evolução para a teoria organizacional (Borges, 2010), pode ser representado pela figura 1. Discursos e sentidos da participação popular em um centro de saúde de Belo Horizonte http://revistas.facecla.com.br/index.php/recadm/ doi: 10.5329/RECADM.2014016 207 FACECLA | Campo Largo -PR, Brasil. RECADM | v. 13 | n. 2 | p. 203-218 | Maio-Ago/2014. Portanto, com essa constante reorganização interna de conteúdos, percebe-se a construção de sentido como social e sistêmica, envolvendo diversos atores interdependentes simultaneamente, e tem como ponto culminante a articulação das construções de sentidos que pode ser feita por meio da comunicação (Weick, Sutcliffe, & Obstfeld, 2005) . O sensemaking (Weick, 1995) também pode ser caracterizado por sete propriedades possíveis de se evidenciar em um evento que tenha oportunidade de criação de sentido organizacional (Borges, 2010), conforme Quadro 1.
doi:10.5329/recadm.2014016 fatcat:4nspqovjsvcd3enql4t3sotkhq