ANtropolíticA Niterói, n

Nina Rodrigues, Arthur Ramos, Edison Carneiro, Roger
2009 ANtropolíticA Niterói   unpublished
Com efeito, para o movimento negro, a presença destes grupos rurais testemunha da "continuidade do espírito de resistência" (VERAN, 1999, p. 59), outrora ao esclavagismo e agora ao sistema capitalista. A idéia de "remanescência do quilombo" se construiu desta forma a partir da "relação entre um objeto histórico e um projeto político" (1999, p. 4). Na sua relevante análise das disputas e negociações entre os diferentes atores sociais para dar um sentido à noção, J.-F. Véran nota que os
more » ... ta que os an-tropólogos ocupavam um lugar de destaque ao lado dos militantes, dos representantes das instituições e dos juristas. Entretanto, a antropologia tinha-se desinteressado pelo quilombo durante quase 30 anos. Do fim do século XIX, nos anos 1960, estudos compara-ram e contrastaram o quilombo rural, percebido como forma obsoleta de resistência à sociedade escravagista, à vitalidade dos cultos afro-brasileiros urbanos, 4 mas este tema foi depois abandonado pelos historiadores. Du-rante os anos 1990, é claramente reinvestido por antropólogos curiosos da emergência de uma identidade quilombola numa sociedade que associa o quilombo ao passado. Os pesquisadores pretendem pensar essa noção datada (SCHWARCZ, 1999, p. 304), desempoeirando-na ou "re-semantizando-na", a fim de transformá-la num conceito pertinente para apreender a realidade de novas formas de mobilização política onde as questões fundiárias são centrais. A partir deste momento, a volumosa produção não deixa de se ampliar com a publicação de livros e artigos, a defesa de teses de mestrado e doutorado, e a redação de laudos peri-ciais-dos quais não tratarei por falta de espaço. 4 Entre outros, Raimundo
fatcat:kj6dlaqwpza2nb7dclgokbvnxa