Quem são os bebês de hoje? Eles são ou estarão diferentes?

Agueda Beatriz Pires Rizzato
1998 Interface: Comunicação, Saúde, Educação  
Freqüentemente ouve-se alguém dizer: "Como estão diferentes as crianças de hoje! É como se elas já nascessem sabendo das coisas!" Ou então: "Hoje as crianças já sabem o que querem...! E desde muito cedo..!" O que realmente está acontecendo? É esse um fenômeno de hoje? Ou são as pessoas, ou melhor, os pais que estão diferentes? Ou ainda, será porque antes não se permitia que as crianças se mostrassem como realmente são? A tantas perguntas tentaremos algumas respostas. Pelo que se observa e pelo
more » ... se observa e pelo que as pesquisas estão revelando, os bebês continuam sendo os mesmos. Aconteceu que os adultos passaram a prestar atenção nessas verdadeiras pessoinhas que são os bebês. Mas serão eles realmente adultos em miniatura ou são como nos diz a Pediatria clássica: " seres em crescimento e desenvolvimento?" Ou serão eles as duas coisas? As reflexões sobre quem é o bebê de hoje é o que apresentaremos a seguir. Em primeiro lugar, alguns conceitos precisam ser revistos e outros, introduzidos. Se fizermos uma regressão no tempo, vamos nos lembrar que até a pouco havia uma certa dúvida sobre com que idade os bebês começavam a enxergar. Entretanto, a partir dos últimos vinte anos, as pesquisas vêm revelando o quanto o bebê já nasce competente. No dizer de Brazelton (1987) "não mais o vemos como uma massa sem formas, prestes a ser modelada pelo meio ambiente, mas como um ser complexo e previsível que interage com os adultos que o cercam. Ele os modela quase tanto quanto é influenciado por eles." Afinal o que acontece então? Quem é esse novo bebê? O bebê continua o mesmo, só que ele passou A SER OLHADO, OBSERVADO E ESTUDADO: primeiro como um ser independente e,
doi:10.1590/s1414-32831998000100023 fatcat:fbimw6m665fv5ohbsszxk63zwi