O ultra-som terapêutico não aumentou as propriedades mecânicas de tendões flexores após reparo

Cristiane Vitaliano Graminha Romano, Cláudio Henrique Barbieri, Nilton Mazzer, José Batista Volpon, Antônio Carlos Shimano, Frederico Balbão Roncaglia
2010 Acta Ortopédica Brasileira  
OBJETIVO: Estudo experimental idealizado para investigar as propriedades mecânicas de tendões flexores profundos de coelhos submetidos à tenotomia seguida de tenorrafia e aplicação precoce de ultra-som terapêutico com diferentes intensidades, em comparação com tendões submetidos somente à tenorrafia. MATERIAL E MÉTODOS: Quarenta e quatro coelhos foram divididos em quatro grupos experimentais de acordo com a aplicação do ultra-som. Todos foram submetidos a uma secção do tendão flexor profundo na
more » ... flexor profundo na zona 2 e imobilizados com uma órtese mantida durante todo o experimento. O grupo A recebeu tratamento ultra-sônico com uma intensidade de 1,4 W/cm², o grupo B com 0,6 W/cm², ambos no modo contínuo, o grupo C com 0,6 W/cm² SATA, no modo pulsado à 50% e o grupo D não recebeu tratamento ultra-sônico algum. A frequência ultra-sônica empregada foi de 1 MHz. Após a eutanásia os tendões foram dissecados e submetidos ao ensaio mecânico de tração e análise histológica qualitativa. As propriedades mecânicas avaliadas foram: força máxima, deformação na força máxima e rigidez. RESULTADO: Não houve diferença estatisticamente significante entre os grupos experimentais. CONCLUSÃO: O ultra-som terapêutico não melhorou as propriedades mecânicas dos tendões flexores após reparo.
doi:10.1590/s1413-78522010000100001 fatcat:zws2q7cmsvfklh6coksdtkai3a