Verbos auxiliares e a sintaxe dos domínios não-finitos [thesis]

Marcus Vinicius da Silva Lunguinho
Agradecimentos Agradeço primeiramente à minha querida orientadora, Profª. Drª. Esmeralda Vailati Negrão, por tudo. Pela orientação segura, dedicada e, pelo mais importante: por sempre acreditar em mim e na minha capacidade. Obrigado pelo carinho, atenção, e dedicação, me ensinando a ser cada vez mais parecido com ela: uma pesquisadora consciente, que gosta do que faz; uma pesquisadora que admira os fatos da língua com entusiasmo, e os analisa com seriedade e objetividade. Obrigado, Esmeralda,
more » ... r ter entrado em minha vida e me fazer apaixonar pela ciência. Agradeço ao Prof. Dr. David Pesetsky, meu supervisor quando do meu estágio de Doutorando no exterior, por tudo, pelos atendimentos, pela atenção a mim dispensada e pela disponibilidade de discutir o meu trabalho. Agradeço aos professores Jairo Nunes e Marcello Modesto, pela leitura atenta e pelos comentários no Exame de Qualificação. Aos professores do DL, , por todos os cursos e ensinamentos a mim transmitidos durante esses quatro anos de doutorado. Aos professores Jairo Nunes, Juanito Avelar, Marcello Modesto e Sérgio Menuzzi, por prontamente terem aceitado o convite para compor a comissão examinadora desta tese. A minha querida família de São Paulo, meus amigos da USP, que abriram a porta de suas vidas e me acolheram com muito carinho: a todos do fundo do meu coração por tudo: pelas conversas, pelas risadas, pelas parcerias acadêmicas e por estarem lá quando eu precisei. Agradeço, muitíssimo, ao amigo Julio Barbosa, pela força e por responder ao chamado para me ajudar nos momentos decisivos da tese. Aos meus amigos de Brasília, Carol Aguiar, Carol Cardoso, Paulo Medeiros, Leia Silva e Deborah Oliveira, pelo carinho e pela preocupação. Aos meus pais e minhas irmãs, o meu maior tesouro nessa vida. Muito obrigado, pelo amor e pela compreensão em relação à minha ausência. Amo muito vocês. Agradeço às seguintes agências de fomento sem cujo apoio financeiro eu não poderia ter levado a cabo o projeto dessa pesquisa: FAPESP (processo número 2007/58451-7), CAPES (Programa de Doutorando no País com Estágio no Exterior 2369-09-5) e CNPq (processo número: 141923/2007-5). Palavras chave: domínios não-finitos, futuro, passivas, perfeito, Programa Minimalista, progressivo, sintaxe dos verbos auxiliares. Abstract LUNGUINHO, Marcus Vinicius da Silva (2011) Auxiliary verbs and the syntax of non-finite domains. Doctoral Dissertation. Facudade de Filosofia Letras e Ciências Humanas. Universidade de São Paulo. This dissertation puts forward an analysis of auxiliary verbs in general, and of Portuguese auxiliary verbs in particular. The proposal is to universally characterize auxiliary verbs as a class of verbal elements which (i) belong to the verbal category ; (ii) have a unvalued verbal feature [uV] ; (iii) do not assign theta roles ; and (iv), together with the main verb, compose one single phrasal domain. The presence of [uV] guarantees that the auxiliary verb will select a verbal projection as its complement, within which is the target that will value the uninterpretable [uV] feature by means of the operation Agree (Chomsky 2000, 2001) . The four characteristics proposed to describe auxiliary verbs allowed for the derivation of criteria of auxiliarity, a reinterpretation of the criteria usually discussed in the literature. Eight necessary and sufficient criteria define an auxiliary verb in Portuguese. The composition of THE Portuguese auxiliary class with its four members -ser, ter, estar and ir -resulted from the application of these eight criteria. Passives were analysed by means of the smuggling system, proposed by Collins (2005) and the auxiliary ser was considered to be a functional verb which values the [perfective] feature of the passive participle. A non-canonical passive was found to co-exist with canonical passives, one which shows the auxiliary ter. We argue that ter is the computational product of features of the auxiliary ser with features of the functional node v*. For the analysis of perfective ter and progressive estar, we have adopted a decompositional view along the lines of Kayne (1993), which derives these verbs from the incoporation of prepositional elements to the features of an abstract auxiliary verb. So, three of the Portuguese auxiliary verbs result from syntactic computation: passive ter is the manifestation of the features [v SER -v*]; perfective ter is the manifestation of the features [v AUX -P DEPOIS ]; and progressive estar includes the features [v AUX -P DENTRO ]. And the auxiliary verb ir is treated as a modal head, which, when combined with features of the head T, generate a future reading.
doi:10.11606/t.8.2011.tde-19062012-134154 fatcat:k327i4az2nhzrf4rj5h7gclmtu