JUNKY, UM MEIO DE VIDA, E O GRITO CONTRA O CAPITALISMO NORTE-AMERICANO DOS ANOS 1940-50

Daniel Luiz Medeiros
2018 Revista Scripta Alumni  
RESUMO: A partir da obra Junky, apresenta-se uma reflexão sobre o modo de vida beat. Por meio do personagem Bill, Burroughs faz, com naturalidade, uma crítica indireta à sociedade capitalista de sua época, à racionalidade exacerbada e ao ideal American way of life. A exaltação da racionalidade, fruto da filosofia ocidental, fora motivo de menosprezo do corpo. Burroughs, juntamente com outros beats, grita pela liberdade frente à sociedade proibicionista de então e pela santidade do corpo. A
more » ... de do corpo. A crítica ocorre não por meio de argumentos, mas a própria vida de Bill, marcada pelas drogas, é um protesto contra a sociedade. Essa postura de vida aproxima-se de algumas correntes filosóficas do existencialismo, que são citadas no artigo. Palavras-chave: Corpo. Liberdade. Existência. ABSTRACT: From the work Junky, a reflection on the beat way of life is presented. Through the character Bill, Burroughs does with naturality an indirect criticism to the capitalist society of his time, the exacerbated rationality and the American way of life ideal. The exaltation of rationality, fruit of Western philosophy, was a motive of contempt of the body. Burroughs, along with other beats, shouts for freedom in front of the prohibitionist society of then and for the holiness of the body. Criticism comes not through arguments, but Bill's own life, marked by drugs, is a protest against society. This life posture is close to some philosophical currents of existentialism that are mentioned in the article.
doi:10.5935/1984-6614.20170014 fatcat:53hsrzanlregpau4mkz6pya4by