A escrita de mulheres, as mulheres na escrita: histórias de vida na literatura da América Latina

Regina Kohlrausch, Sara Beatriz Guardia, Luís Alberto Dos Santos Paz Filho
2020 Letrônica  
Recorrendo à história sobre o percurso da autoria feminina na literatura, observa-se que os movimentos feministas na década de 60 do século XX foram constituídos por grupos mais ou tão ativos que outras relevantes manifestações dos séculos anteriores. Em outras palavras, ampliouse a discussão e a pesquisa acadêmica sobre o universo feminino. Desde os fins do século XIX e, principalmente, no século XX, conforme explica Luiza Lobo (1998) 3 , "a principal transformação por que passou a literatura
more » ... assou a literatura de autoria feminina é a conscientização da escritora quanto a sua liberdade e autonomia e a possibilidade de trabalhar e criar a sua independência financeira", ocorrendo assim "uma paulatina mudança da condição "feminina" para a condição "feminista". Seguindo essa perspectiva, segundo Zolin (2012), a mulher penetra na sociedade letrada em consequência do feminismo que oportunizou sua atuação como literatas e também como críticas: "De um lado, a crítica literária, antes de domínio quase exclusivamente masculino, passou a ser praticada por mulheres; de outro, estas passaram a escrever mais como literatas, livres dos temores da rejeição e do escândalo" (ZOLIN, 2012, p.328). Nessa direção, Márcia Hoppe Navarro (1995), ao comentar sobre a ausência de mulheres no denominado "boom da literatura latinoamericana", na década de 60 do século passado, afirma que somente duas décadas depois que a escrita das mulheres começou a receber a merecida atenção e que esse aumento da produção literária de mulheres pode ser "relacionado com o panorama geral de mudanças provenientes dos movimentos feministas iniciados nas duas décadas precedentes". (NAVARRO, 1995, p. 13). Para Navarro, "essas obras, publicadas durante os 80, se caracterizam pelo resgate da força da mulher, que emerge com a habilidade de fazer sua própria história". A estudiosa destaca que é importante observar como se processa essa habilidade de fazer a própria história nos romances através do papel coincidente das personagens femininas. Segundo ela, e isso se comprova também nas análises aqui EDITORIAL A escrita de mulheres, as mulheres na escrita: histórias de vida na literatura da América Latina publicadas, nessas narrativas, na maioria das vezes, a mulher é a protagonista e narradora da história, adquirindo um papel preponderante, uma função na narrativa, dentre elas, como escritora. Navarro salienta que não importa que espécie de escritura produz essas escritoras ficcionais:
doi:10.15448/1984-4301.2020.1.36816 fatcat:w4c75omy65hbpew4z4rkbkcqgm