APOIO DOMICILIÁRIO: PERSPETIVAS DE FAMÍLIAS E EDUCADORES Home care: family and educators perspectives

Gladys Da Silva Rodrigues, Sónia Raquel Seixas, Isabel Piscalho
2018
O estudo realizado sobre o apoio domiciliário pretende conhecer as perspetivas de famílias e educadores. Nele referenciamos as práticas da intervenção precoce (IP), ressaltando-se a necessidade das famílias e dos profissionais se envolverem em práticas participativas, que fomentem o diálogo e a aquisição de competências. Dá-se especial relevância ao domicílio, enquanto contexto educativo, pois este está diretamente associado ao desenvolvimento da criança e ao seu bem-estar. Nesta senda, o
more » ... esta senda, o profissional de intervenção precoce desenvolve capacidades de comunicação e procura maximizar o apoio em contexto domiciliário, com a mínima intrusão, respeitando os valores e crenças da família. Ao entrevistarmos educadores de infância que exercem funções nas equipas locais de intervenção precoce e as famílias apoiadas, pretendíamos também desmistificar a possível existência de uma conflitualidade entre os valores pessoais de uns e de outros e perceber se existem sentimentos de perda de privacidade e de intromissão. Ficámos a saber que ambos os grupos entrevistados consideram que os benefícios do apoio domiciliário se sobrepõem a qualquer destes sentimentos. ABSTRACT This study on home care provision aims to understand the perceptions that families and educators have on the subject of early intervention. Early intervention, referenced in this text (EI), highlights the need for families and professionals to engage in active practices that foster dialogue and the acquisition of skills. The home becomes especially relevant as an educational environment as it has a direct effect on the child's development and well- being. In this vein, the early intervention professional develops communication skills and seeks to maximize support within the home environment, with minimal intrusion whilst respecting the values and beliefs of the family. Interviews were conducted with kindergarten teachers, who work in local early intervention teams, as well as the families which receive the support. The aim of these interviews was to dem [...]
doi:10.25746/ruiips.5.1.14476 fatcat:onpqe6u3x5f7ne6o6ky362skkq