Impactos das queimadas na Amazônia no tempo em São Paulo na tarde do dia 19 de agosto de 2019

Murilo da Costa Ruv Lemes, Michelle Simões Reboita, Bruno César Capucin
2020 Revista Brasileira de Geografia Física  
No dia 19 de agosto de 2019, a cidade de São Paulo (SP) presenciou um evento incomum que deixou grande parte da população assustada com o ocorrido. Próximo às 15 h, o céu na cidade de São Paulo escureceu tornando o dia em noite. Diante desse contexto, o objetivo do estudo é descrever o ambiente atmosférico associado ao evento registrado em São Paulo. Para tanto, foram utilizados diferentes dados: cartas sinóticas e análises de modelos de tempo do Centro de Previsão de Tempo e Estudos Climáticos
more » ... Estudos Climáticos (CPTEC), imagens de satélite, dados de diferentes modelos, monitoramento da qualidade do ar Companhia Ambiental do Estado de São Paulo (CETESB) e notícias veiculadas pela mídia. Nos dias prévios ao 19 de agosto foram documentadas queimadas na Amazônia e a presença de ventos em baixos níveis da atmosfera que auxiliavam o transporte do material particulado das regiões de queimadas para o sul do país. No dia 19, com a chegada de um sistema frontal em São Paulo, os ventos em baixos níveis passaram a escoar da Amazônia em direção ao sudeste, transportando o material particulado para tal região. O material particulado (pluma de fumaça) não foi registrado em superfície, já que as estações da CETESB não documentaram padrão anômalo nas observações. Sugere-se que o material particulado serviu como núcleo de condensação de nuvem, gerando muitas gotículas de nuvem que refletiram radiação para fora da atmosfera, deixando escura a tarde de São Paulo.
doi:10.26848/rbgf.v13.3.p983-993 fatcat:ksp36fy2ajbptpwb5nrpmvl7yy