A REPRODUÇÃO SUBORDINADA DO CAMPESINATO*

Fee Ensaios, Porto Alegre
1981 unpublished
O objetivo deste texto é indicar algumas determinações econômicas epo-líticas da reprodução do campesinato, tomando como referencia os peque-nos proprietários rurais do Brasil meridional. O percurso da análise toma como orientação duas hipóteses de trabalho. A primeira parte da constatação de que a especificidade da acumulação do capital na agricultura brasileira tem sido dada pelo caráter desi-gual de sua realização, desigualdade manifestada nos planos econômico, político e ideológico. Mais
more » ... ideológico. Mais ainda, tal desigualdade obedece a um padrão de combinação segundo o qual é a lógica do capital que se impõe a to-dos os processos, variando, todavia, os vínculos da subordinação e as formas dos processos sociais considerados. O desenvolvimento desigual pode ser percebido, em uma primeira aproxi-mação, como uma diversidade de processos produtivos, na qual as rela-ções de produção especificamente capitalistas se desenvolveram mais em algumas regiões e setores do que em outros. Tal combinação entre setores capitalistas e setores nao-capitalistas de produção, longe de ser uma debilidade do processo de acumulação,po-de ser analisada como a forma própria de se realizar da reprodução am-pliada do capital. Por conseguinte, o mercado interno, conceituado co-mo espaço econômico organizado segundo relações de produção capitalis-tas, teria necessidade do mercado externo, espaço econômico organizado segundo relações de produção nao-capitalistas, necessidade fundada no
fatcat:r7u7vjzuyjcpjaj6ljjgp5x5am