Validade de medidas autorrelatadas de peso corporal e estatura em participantes do estudo São Paulo Megacity

Lara Onofre Ferriani, Evandro da Silva Freire Coutinho, Daniela Alves Silva, Danielle Bivanco-Lima, Isabela Judith Martins Benseñor, Maria Carmen Viana
2019 Cadernos de Saúde Coletiva  
Resumo Introdução A utilização de indicadores válidos na avaliação do estado nutricional populacional é muito importante. Objetivo Avaliou-se a concordância entre medidas aferidas e autorrelatadas de peso corporal, estatura e IMC, e identificou-se fatores que exercem influência sobre o autorrelato. Método Estudo transversal de base populacional de adultos da Região Metropolitana de SP (N=766). Cálculo dos coeficientes de correlação intraclasse e análises gráficas de Bland & Altman foram
more » ... os, avaliando a concordância dessas medidas. Resultados Na amostra total, e para ambos os sexos, foram subestimados o peso corporal autorrelatado e, consequentemente, o IMC, enquanto a estatura autorrelatada foi superestimada. A imprecisão no autorrelato foi influenciada pelo sexo, idade, escolaridade e estado nutricional. A confiabilidade encontrada entre as medidas foi elevada em ambos os sexos e na amostra total (peso corporal CCI 0,951/IC 0,938-0,961; estatura CCI 0,870/IC 0,597-0,939; IMC CCI 0,865/IC 0,677-0,928). A prevalência de excesso de peso pelas medidas autorrelatadas mostrou-se subestimada (13%), quando comparada àquela calculada através das medidas aferidas. Conclusão O autorrelato pode ser influenciado por diversos fatores, produzindo medidas imprecisas. Sua utilização em inquéritos populacionais pode acarretar em uma importante subestimativa do risco de adoecimento e mortalidade prematura por doenças cardiovasculares e metabólicas associados ao excesso de peso.
doi:10.1590/1414-462x201900020242 fatcat:xnbfqzf3ozh6zmr2vg3hazv3be