Capital financeiro e empreendedorismo: considerações sobre o sujeito contemporâneo em Match Point, de Woody Allen [thesis]

Ana Paula Bianconcini Anjos
Agradecimentos À Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES) pela bolsa de estudos concedida de mestrado. Ao Prof. Dr. Marcos César de Paula Soares pela orientação presente, a paciência, dedicação e confiança com que sempre discutiu este trabalho comigo. À Profª. Drª. Ivone Daré Rabello e ao Prof. Dr. Ismail Xavier pela leitura atenta da pesquisa e pelas sugestões propostas no exame de qualificação. Agradeço também pela generosidade em discutirem novamente este trabalho
more » ... omigo. Aos amigos Lorena Vicini e Pedro Fragelli pela revisão e sugestões em momentos decisivos. À Lorena, em especial, pela força e o trabalho árduo nas últimas semanas, companheira das Letras e do Jornalismo. Aos amigos -brasdegnos‖ Júlia Codo e Paolo Demuro pela tradução em italiano das óperas. Aos meus pais e à minha irmã pelo carinho e apoio. Os meus pais dedicaram a vida à causa pública: são a minha inspiração. Ao Otávio que de uma calada maneira chega sempre sorrindo como se fosse a primavera... Agradeço-o também pelas imagens desta dissertação. Durante este trabalho, sofri alguns percalços: quebrei o pé e retirei o apêndice. E nesse momento, a assistência do Thales, da tia Márcia e do tio Kei foram fundamentais. Aos meus familiares e amigos, agradeço um a um. Em especial, à Ciça, à Bel e à Maria. Aos funcionários das bibliotecas e departamentos da FFLCH, ECA e FAU. 7 -O que os irlandeses têm de pior é que eles se tornam corruptíveis assim que deixam de ser camponeses e viram burgueses.‖ Carta de Engels para Marx, 27 de Setembro de 1869. 8 Resumo O objetivo desta dissertação é compreender a configuração do sujeito contemporâneo no filme Match Point (2005), de Woody Allen. Na carreira de Allen, este filme representa o momento de uma espécie de exílio. Por problemas de financiamento nos Estados Unidos, o diretor nova-iorquino vai para a Europa. No centro do capitalismo financeiro, simbolizado pelo prédio de negócios, um irlandês alia-se à elite britânica. O protagonista reúne os valores sociais do empreendedor em um momento histórico anterior à derrocada financeira em 2008. Abstract The aim of this dissertation is to understand the role of the contemporary subject in the film (2005) , by Woody Allen. In Allen's career, this film represents the moment of a sort of exile. Due to funding problems in the United States, the New-Yorker director goes to Europe. In the center of financial capitalism, an Irishman joins the British elite. The protagonist combines the social values of entrepreneurship in a historical moment that precedes the global financial crisis in 2008. Das entrevistas com o diretor, publicadas em livro, selecionamos as que foram realizadas por Eric Lax e Stig Björkman. O norte-americano Eric Lax é o biógrafo oficial de Woody Allen desde 1971 até hoje. Lax acompanha todo o processo fílmico do cineasta, realizando entrevistas e publicando livros e biografias sobre Allen. O jornalista norteamericano optou por dividir seu amplo material contemplando -cada um dos sete aspectos principais da realização de um filme, da ideia à trilha sonora, terminando com um capítulo em que Allen reflete sobre sua carreira. Cada capítulo começa no início dos anos 70 e termina em 2006 ou 2007, de forma que, dependendo, digamos, do interesse no elenco ou na edição, eles podem ser lidos em qualquer ordem‖ 12 . Por sua vez, nas entrevistas realizadas por Stig Björkman, o jornalista e cineasta sueco concentra-se nos aspectos técnicos e temas recorrentes na obra de Allen. A coletânea de entrevistas apresenta cada um dos filmes de Allen que estão divididos cronologicamente por capítulos do livro. Björkman afasta-se um pouco da imagem que se construiu em torno do cineasta: -O Woody Allen que eu aprendi a conhecer durante o trabalho para este livro, não tem muita semelhança com a film persona que a gente está acostumado a ver na tela, o lobo solitário e o neurótico incurável [...], ao contrário, foi o trabalhador disciplinado e decidido, artista sério e consciente que faz muitas exigências a si mesmo e que se recusa a comprometer sua arte e sua visão de mundo‖ 13 . Os encontros de Björkman e Allen vão de 1986 a 2002. No prefácio do livro, o jornalista (também responsável pelo livro de entrevistas Bergman on Match Point Bergman) salienta as condições de produção dos filmes de Allen: -A posição de Woody Allen no mundo do cinema é única. Ele tem um contrato com seus produtores que lhe garante total liberdade para escrever e dirigir um filme por anopelo menos. O contrato prevê controle ilimitado do lado de Woody em relação à escolha do tema, roteiro, atores e membros da equipe, corte final e assim por diante. A única condição é que ele se mantenha dentro dos limites econômicos previstos no projeto‖ 14 . Convivem nesses livros um esforço de sistematização que é importante para uma análise consequente da obra do cineasta ao lado de informações nas quais o leitor deve -confiar desconfiando‖. Como é comum nas entrevistas que Woody Allen concede, há despistes e ironias que fazem com que cada informação deva ser testada no confronto com os filmes. 12 Lax, p.16. 13 Björkman, p.xv. 14 Iibid, p.xv. Godard, Allen diz que prefere -lutar com o filme [na montagem] a lutar com outras coisas.‖ Nesse ponto, a imagem de Allen aparece em câmera lenta. A tela fica escura e a cena é interrompida. No momento seguinte, Godard entra em uma sala repleta de fotografias, fotogramas e livros publicados sobre Woody Allen. Enquanto reúne os objetos em uma pilha, o cineasta francês narra: -Os homens permanecem em seus apartamentos, em suas ruas, em seus carros. É isso, o encontro acabou.‖ Em -Meetin' WA‖, Godard apresenta a ironia como elemento central, ponto estruturador da obra de Woody Allen. Essa questão também foi abordada de forma esparsa por alguns críticos. Entre eles destacam-se as análises de: Luiz Renato Martins. Nesse ponto, passaremos à exposição das contribuições feitas pela crítica da obra de Woody Allen. Em texto sobre a ironia cômica de Allen, Christopher Morris aponta para o uso irônico da música nos filmes do cineasta. Segundo o crítico, -os artistas e os amantes (e o público) dos filmes de Allen são com frequência e cruelmente ridicularizados pelas trilhas sonoras, que usam a música tanto para minar essas expectativas como para fornecer instâncias artísticas de integridade e da harmonia indisponível na vida. Um exemplo simples é a música sentimental de Marvin Hamlisch a exaltar -o amor, a dedicação e o amanhecer‖, em seguida, a comparação crua entre fazer amor e a prática do boxe que encerra Bananas" 15 . Em ensaio sobre Annie Hall -noivo neurótico, noiva nervosa 16 (1977), Thomas Schatz aponta como princípio organizador da narrativa em Annie Hall, -a vida do narrador cômico, com as sequências seguindo um padrão associativo e não cronológico‖ 17 . O crítico argumenta que a técnica de Woody Allen aproxima-se da ficção moderna, pois faz -o leitor participar do 15 Morris, Christopher. -Woody Allen's Comic Irony‖ (1987). In: Silet, Charles (ed.). The Films of Woody Allen: critical essays / edit. by Charles L. P. Silet. Oxford: The Scarecrow Press, 2006, p.54. 16 As traduções dos filmes de Allen são problemáticas, entre elas, destaca-se: Annie Hall que em português ficou Noivo neurótico, noiva nervosa.
doi:10.11606/d.8.2010.tde-20092010-143226 fatcat:zsqwrhkiije57lodgtszc3i37i