Transtornos mentais comuns, absenteísmo e presenteísmo na equipe multiprofissional de saúde em uma Unidade de Terapia Intensiva [thesis]

Andressa Fernanda Silva
AGRADECIMENTOS Primeiramente a Deus, por sua infinita bondade, misericórdia e proteção. Por nunca ter me abandonando. E por ter me dado forças para chegar até aqui. Vamos sempre ser assim um pelo outro. Agradeço minha sempre fiel, amiga, conselheira Santa Rita de Cássia e Nossa Senhora pela conquista dessa graça. A minha mãe Francisca, por ser meu maior exemplo de vida, por todo carinho, paciência, amor e principalmente pelo apoio. Sempre se sacrificou para me ajudar a realizar meus sonhos.
more » ... ar meus sonhos. Mesmo com todas as dificuldades me ensinou a acreditar na vida, a lutar até o limite por nossos sonhos. Pelos sorrisos, pelo colo reconfortante diante do desespero e por todos os abraços. Nada disso seria possível sem você. A meu pai José, meu amigo, o primeiro a acreditar nos meus sonhos. Não mediu esforços para me ajudar. Deus me presenteou com você, para que eu nunca me esquecesse que Ele jamais me abandona e que na minha fraqueza sou forte e, principalmente, a nunca me esquecer do amor, a força motriz de toda transformação. A minha irmã Bianca, uma leoa cumprindo o papel de irmã mais velha, me defendendo sempre. Por ter me dado a minha maior alegria que senti nesta vida até hoje, o nosso Mateus José. Saiba que daria a vida por vocês. Agradeço a minha orientadora Maria Lúcia do Carmo Cruz Robazzi, por ter aceitado me orientar neste estudo. Pelos ensinamentos, pela convivência, atenção e, principalmente, pelo carinho e doçura que sempre me tratou. Obrigada por sempre me estimular, fazendo-me acreditar que sou capaz de realizar tudo aquilo que almejo. Deus, como sempre me surpreende e dessa vez foi me apresentando a senhora, como um lindo presente. A minha primeira e inesquecível orientadora Cristiane Silveira, que se tornou uma amiga, conselheira e um dos meus pilares profissionais. Sou extremamente grata por tudo que fez em minha vida. Não seria quem sou hoje, se não fosse aquele dia que você chegou de mansinho na minha carteira e convidou-me para ser sua aluna de Iniciação Científica. Agradeço a Rita de Cássia M. B. Dalri, pelas orientações, confissões e principalmente pela confiança e carinho. Foi fundamental para que eu chegasse até aqui. Aos meus tios Celso e Pedro, sempre dispostos a me ajudar no que fosse preciso, obrigada pelas mãos amigas em todos os momentos da minha vida. Ao meu tio Paulo Afonso (in memoriam). Aos meus amigos que prefiro não citar os nomes, por medo de ser injusta. Todos vocês foram essenciais nesta conquista, o mundo seria tão sem graça sem vocês. Obrigada por se fazerem sempre presente nos meus dias, mesmo com a distância. A Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo e ao hospital onde foi realizado este estudo e seus colaboradores. A fé em Deus tem que ser inabalável! "Porque aos seus anjos Ele mandou que te guardem em todos os teus caminhos." (Salmos 90. 11) RESUMO SILVA, A. Transtornos mentais comuns, absenteísmo e presenteísmo na equipe multiprofissional em uma Unidade de Terapia Intensiva Adulto. 2017. 144p. Dissertação (Mestrado) -Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto, Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto, 2017. Este estudo abordou a questão do trabalho e do adoecimento em trabalhadores que atuam na área de saúde, notadamente hospitalar. O objetivo foi relacionar as características sociodemográficas, laborais e de saúde dos membros da equipe multiprofissional da Unidade de Terapia Intensiva, com a presença de Transtornos Mentais Comuns e a ocorrência de absenteísmo e presenteísmo. O estudo foi aprovado por Comitê de Ética em Pesquisa (CAAE 54868316700005393). Trata-se de pesquisa epidemiológica, correlacional, analítica, transversal, com abordagem quantitativa, desenvolvida com 54 trabalhadores da equipe multiprofissional de saúde de uma UTI Adulto de um hospital universitário público do interior do Estado de São Paulo. Foram utilizados os instrumentos: Stanford Presenteeism Scale SPS-6 para investigação do presenteísmo; Self-Reporting Questionnaire (SRQ-20) para a mensuração do nível de suspeição de Transtornos Mentais Comuns e questionário para caracterização dos dados sociodemográficos, laborais e de alterações de saúde dos participantes. As informações sobre o absenteísmo foram obtidas nos bancos de dados do setor de Recursos Humanos da instituição. Os dados foram coletados em 2016. Entre os trabalhadores estudados houve predomínio de mulheres (75,9%), com média de idade de 39,8 anos e em união estável (56%). Em relação às variáveis ocupacionais, 66,7% eram contratados pela Consolidação das Leis do Trabalho; o maior número de participantes era da enfermagem (66,7%) e a maior parte (31,6%) atua no hospital de 6 a 10 anos. No que diz respeito à ocorrência de sintomatologia dos Transtornos Mentais Comuns, entre as mulheres foram encontrados os valores médios de 4,37 e entre os homens 3,85. A alteração de saúde mais comum foi a cefaleia (63,0%). A avaliação do presenteísmo mostrou que 48,7% apresentaram comprometimento no trabalho e 31,8% tiveram a realização e finalização das tarefas alteradas por este fenômeno. Quanto ao absenteísmo, em relação a meta pactuada de 8,50% ao mês, durante todos os meses os valores foram excedentes. Os resultados mais preocupantes referem-se ao presenteísmo e ao absenteísmo, fenômenos que podem ser resultantes de adoecimentos entre os trabalhadores. Diante deste cenário identifica-se que a saúde destes trabalhadores requer atenção, visto que muitos podem estar comparecendo a seus postos de trabalho mesmo doentes, o que pode levá-los a um maior comprometimento físico e mental.
doi:10.11606/d.22.2019.tde-30072019-150045 fatcat:xzrfyrrxxzf7zprrd2gqio5oyu