Circuitos latinos em SP e RJ: sentidos dos ativismos musicais migrantes

Simone Luci Pereira, Micael Herschmann
2018 Revista Fronteiras : Estudos Midiáticos  
Este é um artigo de acesso aberto, licenciado por Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional (CC-BY 4.0), sendo permitidas reprodução, adaptação e distribuição desde que o autor e a fonte originais sejam creditados. RESUMO O artigo analisa aspectos dos circuitos musicais latinos em São Paulo e no Rio de Janeiro, buscando compreender as proximidades e disjunções entre as práticas protagonizadas por imigrantes oriundos da América Latina hispânica e os sentidos de "latinidade" que a partir daí
more » ... " que a partir daí se esboçam em cada cidade. Em um primeiro momento, retomamos algumas questões da dinâmica histórica dos (des)caminhos políticos do século XIX, nos quais uma ideia de América Latina é forjada e o Brasil desenvolve uma ambiguidade entre pertencer e não pertencer a essa noção identitária e política, construindo o latino como um Outro. Em seguida, apresentamos uma cartografia mais geral dos circuitos musicais latinos e a presença da salsa como nomenclatura guarda-chuva para uma série de ritmos, estilos e gêneros musicais do que se constrói em várias partes do mundo e no Brasil como símbolo de latinidade. Ao final, analisamos um grupo musical atuante em cada uma das cidades: o Batanga & Cia, em São Paulo, e o grupo Songoro Cosongo, no Rio de Janeiro. Buscamos assim compreender sentidos dos ativismos musicais migrantes que se articulam à construção de identidades, aos usos e dinâmicas das cidades e às formas de produção cultural e midiática alternativas que ressaltam especificidades dos contextos socioculturais de cada meio urbano analisado. Palavras-chave: comunicação, cultura urbana, circuito latino, latinidade, ativismo musical.
doi:10.4013/fem.2018.202.03 fatcat:yh3hav2cszdpxjke3t2muod2he