Esporotricose em cães

Max Ferreira Migliano, Dinoberto Chacon de Freitas, Gilberti Moreno
1963 Revista da Faculdade de Medicina Veterinária Universidade de São Paulo  
A esporoIricose é micose pouco freqüente em animais doir.ei^ ticos, embora tenha sido assinalada em várias espécies (Vcrbrcu^cí^an, 1958). Após o ti' abalho de ULÍTZ e SPLENDORE (1907), sobre a o_ corrência do agente etiológico em ratos, poucas referencias forara ja dicionadas à literatura brasileira e todas elas caracterizadas por observações de casos isolados. Pudemos reunir até o presente, as publicações dc AKÊA LEÍÍO e col. (1935) e PUtATININGA (19^3) concernentes à ocorrência da moléstia
more » ... muares, a notificação de um caso em jumento, feita por MELLO (1935)» a verificação de um caso em gato, referida per FREITAS e col. (1956) e a comunicação de SOUZA (1957) em cão. Nossa observação de 2 casos de esporotricose em cao vem »v A somar-se a essa literatura, Justificando a apresentaçao deste trabji lho, uma vez que não há referências a tal hospedeiro, em S. Paulo. Em relação ao homem, a freqüência desta micose e relativa mente baixa. Segundo LACAZ (I96O) a esporotricose foi verificji da apenas em 0,5^" de 20.470 pacientes matriculados no Ambuiato_ rio de Dermatologia dc Hospital das Clínicas, durante os anos
doi:10.11606/issn.2318-5066.v7i1p225-236 fatcat:ydqparp7unbqtpxzevv7vn3xly