ANÁLISE DINÂMICA DA SUSPENSÃO DE UM VEÍCULO MINI BAJA SAE

Gustavo Araujo, Nicanor
unpublished
Resumo: Baseado em um veículo mini baja equipado com sistema de suspensão do tipo duplo A, este trabalho analisa o seu comportamento dinâmico através de modelos simples. Foram determinadas as frequências naturais e os modos normais de um modelo com três graus de liberdade, no qual foi possível verificar as regiões de ressonância. A resposta de um modelo de 1/8 de veículo foi estudado considerando um obstáculo característico de uma das provas que existem na competição promovida pela SAE, a qual
more » ... a pela SAE, a qual esses veículos participam. Palavras-chave: Mini Baja SAE, Sistema de suspensão, Análise dinâmica. 1. INTRODUÇÃO A SAE-Society of Automobile Engineers, inicia no Brasil em 1994 a primeira competição de baja que foi criada em 1976 na Universidade da Carolina do Sul, Estados Unidos. Desde então, alunos de engenharia são desafiados a aplicarem os conceitos aprendidos para a fabricação de um miniveículo do tipo off-road, passando pelas etapas de concepção, projeto detalhado, construção e testes, formando equipes que representem a Instituição de Ensino Superior (PROGRAMA ESTUDANTIL BAJA SAE BRASIL, 2015). A organizadora promove avaliações, que são pontuados em provas de categorias estáticas e dinâmicas (REGULAMENTO BAJA SAE BRASIL 9 (RBSB 9)-AVALIAÇÃO E PONTUAÇÃO-EMENDA 3, 2013). Na avaliação estática, são julgados os projetos em três etapas: Inspeção Técnica e de Segurança para verificar se o veículo satisfaz os requisitos mínimos de configuração e segurança conforme RBSB 5 e 7, inspeção do Motor, onde é verificado se não houve alterações na rotação e potência, e a Avaliação do Projeto, onde os juízes analisam os relatórios, apresentações e a demonstração do projeto desde sua concepção até o veículo montado. Já na avaliação dinâmica, as equipes submetem seus projetos a testes de desempenho, como: aceleração, velocidade máxima, tração, suspension and traction, além do Enduro de Resistência, que se tratar de uma corrida com duração de quatro horas, em um terreno irregular e com diversos tipos de obstáculos. É estabelecida à utilização de um único motor padronizado com 10HP e também a construção do chassi tubular com material de 18% de carbono. As equipes iniciam seus projetos com a mesma potência motora, porém, têm liberdade de encontrar, e ou, desenvolver materiais que demostrem propriedades mecânicas e estruturais iguais ou melhores que o pré-estabelecido para ganharem vantagem em redução de peso e maior robustez. Além disso, o veículo deve ter uma bitola máxima de 1,62m e seu comprimento não deve ultrapassar 2,75m, com capacidade de transportar uma pessoa de 1,90m de altura e massa de 113,5kg (RBSB 5). O objetivo da competição é a construção de um veículo compacto, robusto, de baixo custo e forte o suficiente para ultrapassar troncos de árvores, pedras, rampas, pista de calcário, lâminas d'água e buracos.
fatcat:v5jm6yao5zf57ay4udpsudm6bi