IMAGENS LÍQUIDAS

Fernanda Tomiello
2018 Pixo  
O tema da quarta edição da REVISTA PIXO permeia o conceito de "IMAGENS LÍQUIDAS da cidade contemporânea", explorando suas variações e desdobramentos através de artigos, ensaios e imagens. Consideramos que tais suportes nunca são um mero reflexo daquilo que assumimos como realidade, são sempre um ato de criação, um movimento que fragmenta e remonta o espaço, incorporando ao lugar as subjetividades do indíviduo -e vice-versa. A ideia de liquidez permeia diversas dimensões: a sociedade, as
more » ... ciedade, as relações, o tempo, a modernidade, o amor, o consumo... a vida como um todo. A liquidez está relacionada com o fim das utopias, com a globalização, a efemeridade das relaçoes e a velocidade -cada vez maior -dos nossos pensamentos e ações. Entendemos que a paisagem das cidades é constituída pelo cruzamento entre diversos espaços e tempos, diversos suportes e tipos de imagens e que é possível redescobrir e reinventar a cidade a partir de suas paisagens, a partir de novas leituras, de experiências múltiplas no âmbito das escalas, da distância e do tempo, (re)construindo a paisagem urbana a partir da criação de imagens líquidas. Fernando Freitas Fuão abre essa edição falando sobre a interdependência da fotografia e da arquitetura -desde o surgimento da fotografia até os dias atuais -e os múltiplos conceitos e ideias que permeiam esse processo, abordando da mecanização à subjetividade da imagem fotográfica. Ne sessão de ARTIGOS E ENSAIOS, o primeiro aborda a liquidez da realidade, onde a arquitetura torna-se imagem -e a imagem, arquitetura. O seguinte questiona: "de onde vem os desenhos na cidade?" e procura responder a essa questão acompanhando três grafiteiros em Porto Alegre. Nesse caminho, aborda a importância do trabalho autoral e a perpetuação daquilo que é apagado da cidade através da captura e compartilhamento de imagens fotográficas. O terceiro trabalho discute os efeitos da pós-modernidade na memória e identidade relacionadas às edificações no estilo Art Déco, em Goiânia, Goiás. A seguir, o artigo de Leonardo de Jesus Furtado versa sobre a inserção de práticas artísticas no espaço público e as suas relações com a arquitetura e o urbanismo, procurando caracterizar e diferenciar arte pública de arte urbana. O quinto trabalho discute o "Mito da Casa própria", abordando principalmente as problemáticas dos projetos do período conhecido como BNH (Banco Nacional da Habitação), apresentando e discutindo alternativas à esse modelo. O seguinte artigo relaciona o curta metragem "Recife Frio" com as ideias centrais do livro "As três ecologias" de Félix Guattari e com o conceito de "Liquidez" do filósofo Bauman, especialmente no que diz respeito às críticas ao estilo de vida contemporâneo, pouco preocupado com a sustentabilidade das relações sociais e com a preservação do ambiente natural. O sétimo, por fim, apresenta um panorama da produção acadêmica
doi:10.15210/pixo.v2i4.13515 fatcat:ravqytcqpbg6jazea6lrctx5uy