A sobrevivência da matriz escravocrata e a modernização seletiva do Brasil

GILSON CIARALLO
2007 Sociedade e Cultura  
Resumo: Abordar a sobrevivência de uma matriz estrutural escravocrata nas relações sociais contribui para a concepção da modernidade brasileira com base no paradigma da seletividade, tal como apresentado por Jessé Souza. A teoria da ação comunicativa de Habermas apresenta os elementos constitutivos da modernidade ocidental, os quais possibilitam uma interpretação da experiência de modernização brasileira considerando a herança de seu passado escravocrata. Tal herança é abordada tendo como
more » ... da tendo como referência o material empírico analisado por Maria Silvia de Carvalho Franco em Homens livres na ordem escravocrata. Palavras-chave: teoria da ação comunicativa, modernização seletiva, pensamento social brasileiro. Introdução O que se segue propõe ser uma contribuição à interpretação do Brasil como componente do quadro designativo da trajetória desenvolvimental do Ocidente. Utilizamos, para isso, a teoria da ação comunicativa, conforme desenvolvida por Jürgen Habermas, especificamente as diversas imagens teóricas que figuram mecanismos característicos de uma dinâmica de desenvolvimento social. Partimos do contexto que designa a sociogênese do Brasil: o período colonial. Em tal contexto sociogenético, salientamos especialmente a instituição da escravidão, uma vez que ocupa ela o lugar fundamental sob o qual serão moldadas as relações sociais estabelecidas nos quadros coloniais. Tal é a centralidade da instituição da escravidão nos quadros aventados que falaremos numa matriz estruturante de relações sociais, a qual reproduzirá a essência das relações de dominação senhor-escravo para fora dos quadros próprios de relações de escravidão. Tal abordagem permite sugerir olhares sociológicos peculiares para a formação sociocultural brasileira, entendida como caso concreto de realização dos valores e instituições característicos do Ocidente moderno. A perspectiva adotada incorpora influências da tese da modernização seletiva, conforme proposta por Jessé Souza, 1 de maneira que muitas das imagens teóricas que utilizamos com vistas à análise dos processos sociais sob os quais nos debruçamos estarão associadas a uma certa seletividade determinada pelos quadros da sociogênese do Brasil. * Doutorando do Programa de Pós-graduação em Sociologia da Universidade de Brasília (UnB). 1. Cf. A modernização seletiva: uma reinterpretação do dilema brasileiro. De acordo com a tese de Jessé, há que se compreender as diversas variações concretas do racionalismo ocidental como "absolutizações de dimensões complementares e contraditórias desse próprio racionalismo específico". Tal perspectiva, por sua vez, permite relativizar hierarquizações consolidadas, uma vez que "formas concretas da realização de valores culturais sejam captadas na sua fragmentariedade e parcialidade constitutivas" (1997, p. 157).
doi:10.5216/sec.v7i2.978 fatcat:f7ma4kgjvfax5efy22cxfpldre