A VIDA PRIVADA NA RELAÇÃO EPISTOLAR DO IMIGRANTE TCHECO, JINDŘICH TRACHTA

Martina Čermáková
unpublished
"Život je takový, jak si jej kolem sebe dokážeme vytvořit a vyzdobit. Ne materiálním bohatstvím-ale mravními a duševními hodnotami." "A vida é tal como nós conseguimos criá-la a nossa volta. Não pela riqueza material-mas pelos valores morais e mentais." Jindřich Trachta O historiador Boris Fausto, ao tratar da problemática da imigração, alega não ser simples responder como seria realmente a vida privada dos grupos de imigrantes e formula a indagação: em que medida, em razão de sua condição
more » ... e sua condição específica, os grupos de imigrantes tiveram-ou conforme o caso ainda têm-uma vida privada com traços distintos que permitam recortá-la do quadro mais amplo da população componente do país receptor (Fausto, 1998, p. 14)? Mas, antes de responder essa pergunta, vamos apresentar o personagem do meu projeto e sua respectiva a trajetória: o tcheco, Jindřich Trachta. ii Os projetos de colonização implementados pelo próprio Estado brasileiro, na região sul do estado de Mato Grosso, bem como por empresas particulares, neste caso específico a Companhia de Viação São Paulo-Mato Grosso são alvos deste projeto de pesquisa. A pesquisa estará interessada objetivamente na presença e participação de imigrantes de origem tchecoslovaca, que vieram para a região trabalhar nos projetos da referida Companhia. Dentre tantos imigrantes, o foco de abordagem privilegiará a trajetória de um personagem peculiar, Jindřich Trachta, que trabalhou como gerente do núcleo colonizador da cidade de Batayporã/MS, e durante a sua experiência histórica pessoal, com regularidade manteve uma relação epistolar com os seus ascendentes familiares que ficaram na Europa bem como cuidou da conservação de vasta documentação de sua própria experiência, da empresa em que trabalhou e da vida comunitária e política da região do Vale do Ivinhema no Mato Grosso do
fatcat:pbwpbyvwgrexjjfvhcgkxl7lai