Participar num estudo de aula: A perspetiva dos professores

Marisa Alexandra Ferreira Quaresma, João Pedro Mendes da Ponte
2017 Boletim GEPEM  
Resumo O estudo de aula é um processo de desenvolvimento profissional originário da cultura japonesa onde está profundamente enraizado. Muitas adoções noutros países procuram seguir exatamente o que se faz no Japão. Contudo, os processos de ensino-aprendizagem são marcados pelas culturas nacionais e isso tem levado a investigar as adaptações necessárias para a adequação do estudo de aula a diferentes contextos. Assim, o nosso objetivo é saber o modo como participantes em estudos de aula em
more » ... dos de aula em Portugal percecionam este processo formativo no que respeita à sua dinâmica e à perspetiva curricular. Apresentamos uma conceção geral sobre estudos de aula bem como as adaptações feitas nos estudos que desenvolvemos. Ilustramos com um exemplo realizado com professores do 1.º ciclo do ensino básico, referindo o balanço feito pelos participantes. Terminamos com uma discussão sobre as adaptações feitas neste processo formativo, procurando sistematizar a razão de ser das suas potencialidades. Palavras-chave: Estudo de aula. Desenvolvimento profissional. Abordagem exploratória. Formação contínua. Ensino Básico. Abstract Lesson study is a process of professional development originating in the Japanese culture where is deeply rooted. Many adoptions in other countries seek to follow exactly what is done in Japan. However, teaching and learning are marked by national cultures and that led to investigate the necessary adaptations of lesson studies to different contexts. So, our goal is to know how teachers who participated in lesson studies in Portugal view this formative process with regard to its dynamic and curricular perspective. We present a general conception about lesson studies as well as the adaptations made in the studies that we developed. We illustrate with an example carried out with primary teachers, referring to the reflection made by the participants. We end with a discussion about the adaptations made to this formative process, seeking to systematize the reasons for its formative potential. 99
doi:10.4322/gepem.2017.039 fatcat:bf64cxccyrgphgxh4bggbva7te