Planejamento e gestão do território na Amazônia [book]

Maria Madalena de Aguiar CAVALCANTE
2020
CDU 911.37:71(811) Bibliotecário Luã Silva Mendonça CRB 11/905 7 Apresentação 9 PARTE I -TERRITÓRIOS EM TRANSFORMAÇÃO 11 1. PONTA DO ABUNÃ: UM TERRITÓRIO LITIGIOSO 37 2. O CONCEITO DE "POPULAÇÕES TRADICIONAIS": UM ESTUDO SOBRE OS ILHEIROS DO RIO URARICOERA-RORAIMA 59 3. ASPECTOS SOCIOAMBIENTAIS E A SUPRESSÃO DA FLORESTA NO ASSENTAMENTO CHIDAUA NO MUNICÍ PIO DE CARACARAÍ-RORAIMA 79 PARTE II -TERRITÓRIOS "PROTEGIDOS" 81 4. UNIDADES DE CONSERVAÇÃO: TERRAS OCUPADAS NO SUL DO AMAZONAS 99 5. O USO
more » ... ONAS 99 5. O USO NORMATIVO E EFETIVO DO TERRITÓRIO: O CASO DAS HIDRELÉTRICAS DO RIO MADEIRA NO ESTADO DE RONDÔNIA E AS UNIDADES DE CONSERVAÇÃO DO ENTORNO 115 6. PROPOSTA METODOLÓGICA DE ARRANJOS PRODUTIVOS LOCAIS EM COMUNIDADE TRADICIONAL, NA AMAZÔNIA SETENTRIONAL BRASILEIRA 129 7. UNIDADES DE CONSERVAÇÃO ESTADUAIS DE RONDONIA -TERRITÓRIO AMEAÇADO 141 PARTE III -TERRITÓRIO URBANO, PLANEJAMENTO E SAÚDE 143 8. PLANO DIRETOR COMO INSTRUMENTO DE PLANEJAMENTO URBANO: BREVE ANÁLISE SOBRE A CIDADE DE PORTO VELHO-RO 161 9. DA CONSTRUÇÃO A REVITALIZAÇÃO: UMA ANÁLISE DA ORGANIZAÇÃO HISTÓRICO ESPACIAL DO MERCADO MUNICIPAL DE RIO BRANCO -ACRE 181 10. DENGUE EM PORTO VELHO: DESAFIOS PARA O PLANEJAMENTO TERRITORIAL Sumário 199 PARTE IV -HIDRELÉTRICAS E REESTRUTURAÇÃO TERRITORIAL 201 11. GESTÃO TERRITORIAL CONTEMPORÂNEA PARA A AMAZÔNIA PARAENSE: QUAL A LÓGICA DE RETORNO AOS GRANDES PROJETOS HIDRELÉTRICOS E LOGÍ STICOS? 217 12. O PATRIMÔNIO ARQUEOLÓGICO EM FACE DA IMPLANTAÇÃO DAS USINAS HIDRELÉTRICAS NO ESTADO DE RONDÔNIA 233 13. HIDRELÉTRICA DE BELO MONTE: O REASSENTAMENTO RURAL COLETIVO (RRC). VITORIA DO XINGU/PA 245 Sobre os autores Apresentação O livro intitulado Planejamento e Gestão do Território na Amazônia traz importantes contribuições ao desenvolvimento científico para a panamazônia. A concepção sobre o livro partiu da professora e pesquisadora que atua neste tema no âmbito da pós-graduação e, considerando a primeira turma de doutorado em geografia implantada na região norte do país, buscou sistematizar as pesquisas desenvolvidas pelos alunos de pós-graduação advindos de vários estados amazônicos para cursar Pós em Geografia em Rondônia. O livro permite ao leitor compreender as pesquisas científicas desenvolvida na geografia sob égide do território em transformação; território urbano, planejamento e saúde; territórios "protegidos"; hidrelétricas e reestruturação territorial. Nessa empreitada, o povo não se deu por vencido, desencadeando diversas batalhas travadas pela comunidade no sentido de conquistar o exercício pleno de cidadania. Formação Geo-Histórica da Ponta do Abunã A região denominada Ponta do Abunã é formada por um conjunto de quatro distritos igualmente banhados pelas águas do rio Abunã. Os distritos são: Extrema, Nova Califórnia, Vista Alegre e Fortaleza do Abunã. A região compõe uma área total de 5.515,87 km2 correspondendo a 16,18% da área total do Município de Porto Velho, na qual hoje se encontra política e geograficamente integrada. A população total é de 14.382 habitantes, distribuída da seguinte forma entre os distritos circunvizinhos: Vila Extrema (6.176 habitantes); Nova Califórnia (3.631 habitantes); Vista Alegre (4.125 habitantes) e Fortaleza do Abunã com 450 habitantes, conforme o último censo (IBGE, 2010). A Ponta do Abunã é assim conhecida por se formar em uma faixa de terra que se estende desde os limites do Acre e Rondônia, à margem esquerda do rio Abunã até sua foz no rio Madeira. Esse é um dos principais rios daquela região. A área estende-se da confluência dos rios Abunã e
doi:10.47209/978-65-87539-11-9 fatcat:y2ptr5z7pnce3kycwiaknpgpra