HISTÓRIAS AO REDOR DA SEPULTURA: UM ATO DE MEMÓRIA NAS NARRATIVAS SOBRE A VIDA E MORTE DA CIGANA ADÉLIA KOSTICHI

Barbara Thompson -Ufes
unpublished
Resumo: O objeto de estudo remete à construções imagéticas sobre quem foi, e ainda é, uma falecida, e um dos eixos norteadores é a existência de sua sepultura, que sustenta e é sustentado por essas tais imagens. Consta na lápide que ela foi cigana. Assim, inicia-se um caminhar por uma estrada de possibilidades para vislumbrar as faces dessa instigante mulher. Tem-se como partida uma das narrativas centrais sobre a imagem e atuação desta falecida Cigana no presente. O nome dela é Adélia Gomes
more » ... a é Adélia Gomes Kostichi, faleceu em 1955, seu túmulo localiza-se no cemitério de Santo Antônio em Vitória-ES. É conhecida por realizar graças, e quem a procura com fé terá seu pedido atendido. Em seu túmulo seus devotos ofertam: velas, rosas vermelhas, cigarros, champanhe, bijuterias, entre outros. No pensamento daqueles que rodeiam a sepultura surgem indagações sobre o passado: quem foi esta Cigana? Como morreu? Como viveu? Assim, o objetivo é analisar a elaboração da exo-identidade e da memória da Cigana Adélia a partir da conjunção de histórias/imagens sobre seu passado (sua morte e vida) e seu presente, e estas histórias são proferidas pelos frequentadores de sua sepultura. A metodologia de pesquisa é a Etnografia com ênfase em história oral, sendo a entrevista o elemento central. Ademais, evidencia-se as narrativas de 14 entrevistados. Ressalta-se que este artigo corresponde a uma síntese de parcela dos resultados obtidos a partir de minha dissertação. Em suma, conclui-se que os fios condutores que regem as inúmeras narrativas sobre a Cigana tratam-se das ideias de dramaticidade, dor, tragédia, magia, mistério, bondade e caridade. Adélia é múltipla humana e divina, àquela que transita entre vivos e mortos, e é apresentada como híbrido contínuo. Abstract: The object of study refers to the imaginary constructions about who was and still is a deceased, and one of the guiding axes is the existence of his grave, which sustains and is sustained by these images. The tombstone shows that she was a gypsy. Thus begins a walk along a road of possibilities to glimpse the faces of this thought-provoking woman. It has as starting one of the central narratives on the image and performance of this deceased Gypsy in the present. Her name is Adélia Gomes Kostichi, died in 1955, her tomb is located in the cemetery of Santo Antônio in Vitória-ES. It is known to perform graces, and whoever seeks it with faith will have his request answered. In his tomb his devotees offer: candles, red roses, cigarettes, champagne, jewelry, among others. In the thoughts of those who surround the grave arise questions about the past: who was this Gypsy? How did he die? How did you live? Thus, the objective is to analyze the elaboration of the exo-identity and the memory of the Gypsy Adélia from the conjunction of stories / images about its past (its death and life) and its present, and these histories are pronounced by the attendants of its grave. The research methodology is Ethnography with emphasis on oral history, with the interview being the central element. In addition, the narratives of 14 interviewees are evidenced. It should be emphasized that this article corresponds to a synthesis of a portion of the results obtained from my dissertation. In sum, it is concluded that the guiding threads that govern the innumerable narratives about the Gypsy are the ideas of drama, pain, tragedy, magic, mystery, goodness and charity. Adélia is manifold human and divine, the one that transits between the living and the dead, and is presented as a continuous hybrid.
fatcat:yd36ivjpw5euzo7owtpbrmrgna