Artigo Original QUALIDADE DE VIDA EM ADOLESCENTES COM NECESSIDADES ESPECIAIS EM UM MUNICÍPIO DE PERNAMBUCO Quality of life in adolescents with special needs in a city of the state of Pernambuco Calidad de Vida de adolescentes con necesidades especiales en

Christielle Lidianne, Alencar Marinho, Sandra Conceição, Maria Vieira, Un Municipio De Pernambuco
2015 Rev Bras Promoç   unpublished
RESUMO Objetivo: Avaliar a qualidade de vida (QV) e a associação desta com variáveis demográficas de adolescentes com necessidades especiais (física, visual e auditiva). Métodos: Tratou-se de um estudo descritivo, de corte transversal, com 72 adolescentes entre 10 e 19 anos, em instituições de ensino público estadual de Petrolina no estado de Pernambuco, Brasil, no período de agosto a outubro de 2012. Para avaliação da QV, foi utilizado o questionário World Health Organization Quality of Life,
more » ... n Quality of Life, versão breve (WHOQOL-BREF). Para análise dos dados, foi utilizada a estatística descritiva e inferencial, aplicando-se os testes Mann-Whitney e Kruskal-Wallis, com p<0,05. Resultados: Observou-se uma menor percepção da QV global nos deficientes físicos (57,36 ±20,67). A QV foi melhor percebida pelos deficientes visuais (65,62 ± 22,49). No tocante aos domínios, entre os deficientes físicos (60,41 ± 7,30), visuais (55,84 ± 13,34) e auditivos (55,00 ± 20,33), os menores escores apresentados foram os de relação social, respectivamente. Os escolares inseridos em sala especial e os adolescentes mais novos obtiveram uma menor percepção da QV. Conclusão: A QV foi melhor percebida pelos deficientes visuais, e os adolescentes com deficiência física apresentaram-se como o grupo mais vulnerável na percepção da QV global e nos domínios físico e meio ambiente entre os escolares investigados. O grupo mais jovem e os estudantes de sala especial perceberam sua QV inferior quando comparada com os mais velhos e os alunos de sala regular. ABSTRACT Objective: To evaluate the quality of life (QOL) and its association with demographic variables of adolescents with special needs (physical, visual, and hearing impairments)., descriptive and inferential statistics were used, applying the Mann-Whitney and Kruskal-Wallis tests, with p<0.05. Results: Lower perception of global QOL was observed in those with physical disabilities (57.36 ±20.67). The QOV was best perceived by the visually impaired (65.62 ± 22.49). As regards the domains, the lowest scores were obtained in the social relationship for those with physical disabilities (60.41 ± 7.30), visual (55.84 ± 13.34), and hearing (55.00 ± 20.33) impairments. The students placed in special classes and the youngest adolescents reported lower perceived QOL. Conclusion: Among the assessed students, quality of life was best perceived by the visually impaired, and the adolescents with physical disabilities presented themselves as the most vulnerable group in the perception of global QOL, and in the physical and environment domains as well. The youngest group and the students of special classes room perceived their QOL to be lower compared to the perceived QOL of older students and the ones placed in general education classes.
fatcat:txhwnrf7q5ekrhwrk3iwcovnha