EFICIÊNCIA E VINGAMENTO DO MARACUJÁ AMARELO (Passiflora edulis Sims) EM DIFERENTES FORMAS DE POLINIZAÇÃO NA REGIÃO DOS COCAIS

Maria Iris dos Santos Costa, Franklim de Assis Costa, Marcelo Jonathas Sousa e Sousa, Maria Doroteia Marçal da Silva, Caio Veloso
2020 SOCIEDADE 5.0:EDUCAÇÃO,CIÊNCIA,TECNOLOGIA E AMOR   unpublished
RESUMO O Brasil é o maior produtor e o maior consumidor mundial de maracujá, a região Nordeste tem liderado a produção brasileira do maracujá amarelo nos últimos anos, sendo responsável por 50% da produção brasileira, este estudo, nas passifloras, a polinização influencia a frutificação, seja por ação de agentes polinizadores (insetos), seja através da polinização artificial, sendo a diferença do percentual de pegamento pelos dois métodos, portanto o obejetivo geral deste estudo é é avaliar a
more » ... udo é é avaliar a eficiência do maracujá amarelo por três diferentes formas de polinização: polinização natural ( tratamento 1); polinização artificial usando cotonete (tratamento 2); polinização natural mais artificial (tratamento 3), na região de Codó-Ma, sendo realizado a polinização por esses tês métodos no período de Novembro de 2018 a junho 2019, o locus da pesquisa tem área de 1248 2 , pomar com seis meses de desenvolvimento através da condução espaldeira vertical com espaçamento de 4 cm entre fileiras e 3 cm entre plantas e irrigação por gotejamento o inseto polinizador envolve mamangavas presente no pomar e os resultados e conclusão encontrados foram para maior formação de frutos o tratamento 2, polinização artificial teve o melhor resultado seguido do tratamento 3 e depois tratamento 1 e no total foram avaliadas 54 plantas de maracujá amarelo. Palavras-Chave: Polinização, Pomar, mamangavas RESUMEN Brasil es el mayor productor y mayor consumidor mundial de maracuyá, la región Nordeste ha liderado la producción brasileña de maracuyá amarilla en los últimos años, representando el 50% de la producción brasileña, este estudio, en pasifloras, la polinización influye en la fructificación, ya sea por la acción de agentes polinizadores (insectos), o mediante polinización artificial, la diferencia en el 1 Agronomia, IFMA campus Codó, santosiriscosta@gmail.com 2 Agronomia, IFMA campus Codó, marceloengeagro@outlook.com 3 Ciências agrárias, IFMA campus Codó, franklimassis@hotmail.com 4 Mestre agronomia, IFMA, mariadoroteia.silva@ifma.edu.br 5 Mestre biologia, IFMA, caio.veloso@ifma.edu.br EFICIÊNCIA E VINGAMENTO DO MARACUJÁ AMARELO [2] SOCIEDADE 5.0: EDUCAÇÃO, CIÊNCIA, TECNOLOGIA E AMOR. RECIFE. VII COINTER PDVL 2020 porcentaje de captura por los dos métodos, por lo que el objetivo general de este estudio es evaluar la eficiencia de la maracuyá amarilla mediante tres formas diferentes de polinización: polinización natural (tratamiento 1); polinización artificial con hisopo de algodón (tratamiento 2); más polinización natural artificial (tratamiento 3), en la región de Codó-Ma, siendo polinizado por estos tres métodos desde noviembre de 2018 a junio de 2019, el locus de investigación tiene un área de 1248 m ^ 2, huerto con seis meses de desarrollo por conducción esparcidor vertical con espaciamiento de 4 cm entre hileras y 3 cm entre plantas y riego por goteo el insecto polinizador involucra abejorros presentes en el huerto y los resultados y conclusión encontrados fueron para mayor formación de frutos el tratamiento 2, polinización artificial tuvo se evaluó el mejor resultado seguido del tratamiento 3 y luego el tratamiento 1 y un total de 54 plantas de maracuyá amarilla. Palabras clave: polinización, huerto, abejorros SUMMARY Brazil is the largest producer and the world's largest consumer of passion fruit, the Northeast region has led the Brazilian production of yellow passion fruit in recent years, accounting for 50% of Brazilian production, this study, in passifloras, pollination influences fruiting, either by the action of pollinating agents (insects), or through artificial pollination, the difference in the percentage of catching by the two methods, so the general objective of this study is to evaluate the efficiency of yellow passion fruit by three different forms of pollination: natural pollination (treatment 1); artificial pollination using cotton swab (treatment 2); more artificial natural pollination (treatment 3), in the Codó-Ma region, being pollinated by these three methods from November 2018 to June 2019, the research locus has an area of 1248 m ^ 2, orchard with six months of development through conduction vertical spreader with spacing of 4 cm between rows and 3 cm between plants and drip irrigation the pollinating insect involves bumblebees present in the orchard and the results and conclusion found were for greater fruit formation the treatment 2, artificial pollination had the best result followed by treatment 3 and then treatment 1 and a total of 54 yellow passion fruit plants were evaluated. INTRODUÇÃO O Brasil é o maior produtor e o maior consumidor mundial de maracujá, chegando a produzir, aproximadamente, um milhão de toneladas ao ano (FALEIRO, 2016). Maracujá é o nome geral dado a várias espécies de Passiflora. Estima-se que o gênero Passiflora possua mais de 500 espécies, a maioria produzindo frutos para consumo in natura e processamento industrial, flores com uma beleza única e grande potencial ornamental, além de apresentar fitoconstituintes em diferentes partes da planta que podem ser utilizadas para propriedades medicinais. A maioria das espécies é encontrada na América Tropical, incluindo Brasil, Colômbia, Peru, Equador, Bolívia e Paraguai, embora existam espécies nativas dos Estados Unidos à Argentina, além da Ásia, Austrália e China. Como existem mais de 100 espécies endêmicas no Brasil, o maracujá é considerado parte da biodiversidade brasileira (BERNACCI et al., 2015). A região Nordeste tem liderado a produção brasileira do maracujá amarelo nos últimos anos, sendo responsável por 50% da produção brasileira, seguida pelas regiões Sudeste, Norte, Centro-Oeste e Sul. Uma alteração significativa na distribuição geográfica dos pomares tem sido apontada por Gonçalves e Souza (2006) : o Pará, que se destacou como principal produtor por alguns anos, cedeu espaço para os pomares da Bahia, Ceará e Espírito Santo, os 3 maiores
doi:10.31692/2526-7701.vcointerpdvagro.0744 fatcat:5y7pigndzff3vpubccjkwp7t2a