APLICAÇÃO DE DADOS CENSITÁRIOS PARA CARACTERIZAÇÃO DA POPULAÇÃO EXPOSTA EM ÁREAS DE RISCO DE DESLIZAMENTOS EM BLUMENAU, SANTA CATARINA

Mariane Carvalho Assis Dias, Silvia Midori Saito, Maria Rita Souza Fonseca
2017 Revista Brasileira de Cartografia  
O conhecimento sobre quem mora nas áreas de risco de deslizamentos ainda é incipiente no Brasil, afetando diretamente em ações de gestão de risco e resposta de desastres. O presente artigo tem como objetivo analisar o uso de dados censitários para a caracterização da população exposta em áreas de risco de desastres naturais. O município de Blumenau, no estado de Santa Catarina, foi escolhido como área de estudo pelo histórico de deslizamentos que já ocasionaram significativos danos humanos e
more » ... s danos humanos e materiais. A base de dados utilizada neste trabalho foi composta pelos dados populacionais, disponíveis no censo demográfico de 2010, elaborado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), pelas áreas de risco de deslizamentos mapeadas no Plano Municipal de Redução de Risco (PMRR) de Blumenau no ano de 2008 e imagens de alta resolução, disponibilizadas no Google Earth. As informações dos moradores, como idade e gênero, foram organizados para caracterização do perfil da população; e dos domicílios, como acesso a água e saneamento, para caracterização dos fatores que aumentam a exposição dos moradores aos deslizamentos. O maior desafio metodológico consistiu em buscar a melhor associação entre os setores censitários aos polígonos de áreas de risco, devido às diferenças de geometria entre os mesmos. Essa associação foi feita por bairros e aglomerados subnormais para permitir maior aderência com as áreas de risco. Para a melhor análise ainda foi realizada a comparação entre as áreas ocupadas e de risco, por meio de análise visual de imagens de satélite. De acordo com os resultados obtidos, 13 dos 35 bairros existentes, e 11 dos 17 aglomerados subnormais em Blumenau foram identificados como viáveis para associação com áreas de risco. Na análise de distribuição por idade, identificou-se que 63% dos moradores expostos eram adultos, 15% eram crianças, 11% eram idosos e 11% eram adolescentes. As características dos domicílios expostos evidenciaram que apesar de estarem localizados em áreas de risco, possuíam boa [...]
doaj:8d4a42a5642443eb9f997313a831898e fatcat:zvhpd5d6mzd5lpa2bpqfzp57mq