Atividade física como fator protetor para o extremo baixo peso em idosos assistidos por uma operadora de saúde

Deborah Lorenzo Gomez Silva, Rafaela Ramos D'Oliveira, Beatriz Myung Jin Kim, Ana Flávia de Lima Santos, Eduardo Antonio Barros Silva Junior, Henrique Souza Barros de Oliveira, Maria Elisa Gonzalez Manso
2020 Acta Fisiátrica  
Objetivo: Investigar a influência de fatores relacionados aos aspectos multidimensionais do envelhecimento em um grupo de idosos com baixo peso assistidos pelo setor privado de saúde. Métodos: Estudo transversal conduzido com 243 idosos com índice de massa corpórea <23 kg/m², todos assistidos por uma operadora de planos de saúde, no município de São Paulo, SP, Brasil, alocados em dois grupos: baixo peso e extremo baixo peso. Para a coleta dos dados empregou-se inquérito contendo informações
more » ... ndo informações relacionadas aos aspectos multidimensionais do envelhecimento. Os dados obtidos foram submetidos a análise descritiva das variáveis, com posterior análise comparativa através dos testes t Student e Qui-Quadrado ou exato de Fisher, quando necessário. Para variáveis com significância estatística, aplicou-se regressão logística e calculou-se as Odds Ratio, com intervalo de confiança de 95%. Resultados: Observou-se que, a idade avançada (p=0,044), dificuldade de mobilidade (p=0,011) e baixos níveis de atividade física (p=0.021) influenciam significativamente os idosos em estado nutricional de extremo baixo peso. Por meio do modelo de regressão logística, verificou-se que para cada uma hora de atividade física praticada pelos idosos deste grupo, os riscos de evolução para extremo baixo peso diminuem em até 14%. Conclusão: A pratica regular e orientada de atividade física praticada por idosos com algum grau de déficit nutricional é capaz de prevenir e/ou retardar desfechos indesejados em grupos susceptíveis.
doi:10.11606/issn.2317-0190.v27i1a172965 fatcat:rzzscyffmrhyzppfvjosxjitue